Mugabe recusa presença de observadores da União Europeia nas próximas eleições

0
65
Mugabe recusa presença de observadores da União Europeia nas próximas eleições

Mugabe recusa presença de observadores da União Europeia nas próximas eleiçõesO presidente do Zimbabwé, Robert Mugabe, recusa a presença de observadores da União Europeia ou do Reino Unido, que impuseram sanções ao Zimbabwé, nas próximas eleições gerais, afirma o jornal governamental The Herald.

 “Queremos observadores im-parciais, que não vão decidir quem ajudar ou não. Não suportamos ingerências nos nossos assuntos eleitorais”, declarou o chefe de Estado durante um encontro com o embaixador britânico em Harare, segundo o The Herald.
 “O Reino Unido não deveria envolver-se na campanha, seja a favor do nosso partido ZANU-PF ou contra”, adiantou o presidente, quando a data das eleições ainda não foi marcada.

 As relações entre o Zimbabwé e o Reino Unido, a antiga potência colonial, e a União Europeia, deterioraram-se depois de Mugabe ter expropriado fazendeiros brancos para redistribuir a terra aos negros.
 Na sequência destas tensões e de violações de direitos humanos nas eleições de 2002, Londres e a UE impuseram sanções ao Zimbabwé e congelaram os bens do presidente.

 “Como podemos convidar pessoas que nos impuseram sanções para ser observadores”, adiantou o chefe de Estado. “Ao imporem sanções, estas pessoas provaram que estavam contra nós”, adiantou.
 Desde 2009, Mugabe, de 87 anos, partilha o poder com o primeiro-ministro e rival Morgan Tsvangirai, no âmbito de um acordo que permitiu evitar um banho de sangue no país mas que não resolveu a crise política.

 Os dois lados opõem-se também sobre as modalidades e a data das próximas eleições. Recentemente, Mugabe anunciou que queria que as eleições se realizassem no início de 2012.