Mpumalanga vai construir escolas, hospitais e industrializar província

0
146

O governo de Mpumalanga vai construir sete novas escolas em cinco cidades de rápido crescimento naquela região do norte do país, para além de mais duas unidades hospitalares, e dar prioridade ao desenvolvimento de sectores como a agricultura, mineração e petroquímicos.

 O anúncio foi feito pelo governador de Mpumalan-ga, Refilwe Mtsweni-Tsipane, na Assembleia Municipal, onde afirmou que as escolas serão construídas em Mbombela, Secunda, Ermelo, Lydenburg e eMalahleni.

 Segundo o governador, o executivo provincial também pretende construir uma escola para crianças surdas, no município de Mbombela.

 No seu discurso, Refilwe Mtsweni-Tsipane disse também que “o desenvolvimento de um currículo para introduzir o ensino de competências digitais, em codificação e robótica, está em estágio final”.

 “O currículo de codificação e robótica irá desenvolver a capacidade dos alunos em resolver problemas, pensar criticamente, trabalhar de forma colaborativa e criativa, funcionar num mundo digital e orientado pela informação, aplicar conhecimentos de tecnologia digital e de informação e comunicação (TIC) e transferir essas competências para resolver problemas do quotidiano”, declarou.

 O governante disse que programa será introduzido em 100 escolas daquela província sul-africana no ano académico de 2021.

 A iniciativa conta com o patrocínio da estatal Sasol, na formação de professores “como leitores mestres em robótica e codificação na província”, disse o governante.

 “Um dos maiores desafios de desenvolvimento em Mpumalanga, e na África do Sul em geral, é o elevado número de crianças que não aprende a ler nos primeiros anos de escolaridade”, salientou.

 “Para garantir que as nossas crianças de 10 anos leiam, vamos expandir a estratégia de intervenção de leitura precoce em mais de 300 escolas, em colaboração com académicos de várias universidades e organizações internacionais de doadores”, afirmou o governador acrescentando que os materiais de leitura “estão disponíveis gratuitamente online”.

 Por outro lado, o governante revelou que o executivo provincial de Mpumalanga enviou 281 alunos para estudar na Rússia. no sentido de colmatar a escassez de competências no ensino local.

 Além disso, acrescentou, a Autoridade de Educação e Formação do Sector de Manufactura, Engenharia e Serviços Relacionados (merSETA) assinou uma parceria com o governo provincial para o financiamento de 81 bolsas de estudo no estrangeiro.

“O programa de bolsas de estudo ajudou mais de 334 alunos, em várias áreas, como medicina, veterinária, tecnologias da informação, aeronáutica, matemática, ciências e engenharia”, salientou.

 O governador de Mpumalanga disse também que o programa de formação de artesãos, criado pelo executivo provincial em parceria com uma empresa local no âmbito do Plano Nacio-nal de Desenvolvimento, formou 2.950 artesãos, em soldadura, tubagem e fabrico de caleiras, entre outros.

 “O programa contribuiu imensamente para mudar a vida dos jovens que, de outra forma, teriam um futuro muito sombrio”, salientou Mtsweni.

 

* Investimento na saúde

 

 “O novo hospital distrital de Middelburg será concluído em breve. Também estamos em estágio avançado com a modernização do Hospital Distrital de Bethal e do Hospital Distrital de Mmmetlhake”, declarou o governador, dando também conta que a construção do Hospital Regional de Mapulaneng, e do CHC de Kanyamazane, já arrancou.

 “Vamos também adquirir 67 novas ambulâncias para melhorar a capacidade de resposta e equipar todas as que foram adquiridas recentemente com o equipamento necessário para salvar vidas”, disse Mtsweni.

 Na tentativa de industrializar a província, será implementado o Plano de Desenvolvimento Industrial de Mpumalanga, destinado a promover o desenvolvimento e o estabelecimento de Parques Tecnológicos Industriais, avançou o governador, Refilwe Mtsweni-Tsipane.

 “Esse plano dá prioridade às áreas com foco principal na agricultura e silvicultura, mineração, metais e petroquímicos”, concluiu.