Morte de Cesária Évora noticiada um pouco por todo o mundoMorte de Cesária Évora noticiada um pouco

0
48
Morte de Cesária Évora noticiada um pouco por todo o mundo

A morte de Cesária Évora, sábado, aos 70 anos foi noticiada um pouco por todo o mundo, sendo mesmo uma das notícias mais lidas do jornal espanhol “El País”.

 Com o título “Cesária Évora, cantora, a voz de Cabo Verde”, o diário diz que o seu “êxito chegou tarde, quando tinha 50 anos, e levava muitos outros a arrastar o seu talento por bares e tabernas”.
 O El País refere ainda que Cesária Évora “esteve perto da morte na Austrália – sofreu um derrame cerebral há três anos depois de um concerto em Melbourne – e tiveram de a operar de urgência em maio do ano passado em Paris, mas no final despediu-se na sua ilha de São Vicente”.

 A notícia do jornal espanhol era a nona mais lida às 10:30 e tinha 119 partilhas para o Twitter e 548 para o Facebook.
 O jornal El Mundo publica um texto do escritor português José Luís Peixoto, onde afirma que Cesária Évora faz de tal forma parte de Cabo Verde “que é como se fosse a 11ª ilha do arquipélago”.
 “Da mesma maneira, Cabo Verde sempre fez parte de Cesária Évora. Na sua voz cantada está presente o céu imenso sobre o Monte Cara, toda a baia do Mindelo, a imensa saudade de todos os cabo-verdianos e a esperança inteira de um povo. Na sua voz está presente ‘um pequeno país’”, lê-se.

 O italiano Corriere dela Sera escreve “Adeus à diva dos pés descalços – Cesária Évo-ra Morreu”.
 “Já tinha sido anunciado em setembro, estava doente, sentia-se fraca e era preciso operar Cesária Évora uma das cantoras mais talentosas do mundo, a rainha da canção em língua portuguesa, intérprete principal da morna. Morreu em três meses, numa cama de hospital na sua terra natal, depois de ter regressado de Paris”, lê-se no jornal.
 Em Inglaterra, o The Guar-dian titulou “Cesária Évora, a voz da saudade, morreu aos 70 anos” e acrescentou que “a cantora que levou as canções em crioulo do seu Cabo Verde para o mundo pediu desculpa aos fans por se retirar mais cedo este ano”.

 Na notícia, o jornal lembra que a “diva dos pés descalços” ganhou um Grammy, o mais prestigioso prémio da indústria musical internacional.
 Na Alemanha, o Die Spliegel afirma: “Ela vendeu milhões de discos e CDs. Com a sua música melancólica, Cesária Évora gentilmente se tornou numa estrela da música mun-dial. Agora a nativa artista das ilhas de Cabo Verde morreu aos 70 anos”.

 Fora da Europa, o norte-americano New York Times diz que Cesária Évora “começou a cantar jovem em bares de Cabo Verde nos anos 50 e ganhou um Grammy em 2003, depois de ter levado a música daquelas ilhas africanas aos palcos de todo o mundo”.
No Brasil, o Folha de São Paulo destaca a “diva dos pés descalços” como a “cantora de maior reconhecimento internacional do seu país”.