Missão empresarial portuguesa termina visita a Maputo com excelentes resultados

0
91
Missão empresarial portuguesa

Missão empresarial portuguesaUma missão empresarial portuguesa terminou na quarta-feira, em Maputo, reuniões com empresariado moçambicano, cujos “excelentes resultados” prenderam na cidade empresas que deviam ter  vindo a Joanesburgo, disse um responsável da Associação Empresarial de Portugal.

 As onze empresas portuguesas, maioritariamente do sector da construção, estavam em Maputo desde segunda-feira para consolidar e estabelecer novos contactos com o empresariado moçambicano, no âmbito do projecto Business On the Way 2010, que a Associação Empresarial de Portugal (AEP) promove, pelo segundo ano consecutivo, nas capitais de Moçambique e África do Sul.
 Trata-se de empresas de diferentes pontos do país e patamares de internacionalização, sendo que, das onze, quatro foram a Moçambique pela primeira vez.

 A missão seguiu depois para Joanesburgo, apesar de algumas permanecerem em Maputo, por “precisarem de detalhar mais aspectos dos negócios”, que já “não são apenas uma primeira abordagem”, adiantou o gestor de mercados internacionais da AEP, Rui Rodrigues.
 “Em termos globais foi extraordinário, conseguimos excelentes resultados”, afirmou Rui Rodrigues, que não quis confirmar o número de empresas que já não vieram a Joanesburgo.
 Porém, de acordo com o gestor português, são companhias da área da construção e que estiveram em Maputo pela primeira vez. “Fizeram bastante sucesso”, acrescentou.

 Por dia, exemplificou Rui Rodrigues, cada empresa teve quatro reuniões. No total, a missão contactou cerca de “120 empresas” moçambicanas, resultando em várias par-cerias e numa “carteira de clientes bastante boa”.
 O gestor português garantiu ainda que “todas as empresas pensam voltar no espaço de dois meses, para consolidar os contactos”, mas esclareceu que, nessa altura, virão a título individual.

 Rui Rodrigues explicou que não esperavam tanta abertura por parte do mercado e salientou o importante papel que a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal e Embaixada de Portugal em Maputo têm desempenhado nesse sentido.
 Para os empresários portugueses, Moçambique é um mercado de eleição: a língua e a cultura permitem uma ligação “muito comum” na forma de fazer negócio, além da própria flexibilidade dos produtos e serviços se adaptarem ao mercado moçambica-no, justificou o gestor da AEP.
 Por isso, salientou, é um mercado onde vão “apostar fortemente no próximo ano”.
 Em Novembro de 2011, aliás, a AEP prevê a realização de uma nova missão empresarial ao país, incluindo Nampula, norte, Tete e cidade da Beira, em Sofala, ambas no centro.

A missão conclui a visita de negócios na sexta feira, na África do Sul, país igualmente importante para Portugal, visto ser um centro de decisões e de compra de material, além das relações que mantém com os países da região.