Ministros das Finanças da UE falham acordo sobre mecanismo único de supervisão bancária

0
36
Ministros das Finanças da UE falham acordo sobre mecanismo único de supervisão bancária

Os ministros das Finanças da União Europeia (UE), reunidos em Bruxelas, falharam um acordo sobre o mecanismo único de supervisão bancária e agendaram para o dia 12 de Dezembro uma nova reunião sobre o tema.

 “Tivémos uma troca de pontos de vista muito interessante. Penso que nos aproxima-mos de um acordo”, afirmou o ministro das Finanças de Chipre, Vassos Shiarly, país que assume actualmente a presidência da UE, depois de os ministros das Finanças dos 27 terem estado cerca de quatro horas a discutir o tema.

 No entanto, acrescentou, “há alguns temas que ainda continuam a precisar de algum trabalho”, nomeadamente “afinar” a distinção entre a função de supervisão e a função de política monetária no seio do Banco Central Europeu (BCE).

 Vassos Shiarly afirmou que ainda acredita que seja possível alcançar um acordo antes da cimeira europeia agendada para 13 e 14 de Dezembro, em Bruxelas.

 “Poderíamos encontrar-nos no décimo segundo dia, do décimo segundo mês, do décimo segundo ano do século, mas talvez um pouco antes a décima segunda hora, às 11:00, com o objectivo de chegarmos a um acordo global”, disse o ministro cipriota.

 Os ministros das Finanças vão, assim, reunir-se novamente no dia 12 de Dezembro, em Bruxelas, na véspera o início da cimeira europeia.

 Os chefes de Estado e de Governo, numa cimeira reali-zada em Outubro, apontaram 1 de Janeiro de 2013 como a meta para a entrada em vigor do novo mecanismo único de supervisão bancária.

 Na proposta apresentada em setembro passado pela “Comissão Barroso”, o BCE será a instituição responsável pela supervisão do sistema bancário da zona euro, que Bruxelas considera um elemento-chave da nova arquitectura para uma “união bancária”.

 O novo mecanismo comum de supervisão deverá abranger todos os bancos da zona euro, cerca de 6.000, mas países que não façam parte da moeda única podem também aderir, se assim o desejarem.

 Portugal esteve representado na reunião pelo ministro das Finanças, Vítor Gaspar.