Miguel Albuquerque satisfeito com recondução de Representante da República

0
100
Miguel

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, manifestou o seu agrado pela recondução de Ireneu Barreto, para representante da República para a Região Autónoma da Madeira mas nem todas as forças políticas secundam essa satisfação.

 "O senhor conselheiro exerceu o mandato com grande dignidade e de espírito colaborante na salvaguarda dos interesses das região e, para além de ser natural da Madeira, acho que é a pessoa que tem toda a competência e integridade para exercer o próximo mandato de forma exemplar como decorreu no anterior", disse Miguel Albuquerque à margem de uma visita à empresa Bordal Bordados, no Funchal.

 A opinião dos representantes dos partidos, porém, oscila entre os que louvam a decisão, os que defendem a extinção do cargo e os que mantém uma posição de indiferença.

 O líder do Grupo Parlamentar do PSD na Assembleia Legislativa da Madeira (ALM), Jaime Filipe Ramos, classifica de "positiva" a recondução de Ireneu Barreto, no cargo de Representante da República na Região Autónoma da Madeira.

 "É com agrado que o Grupo Parlamentar vê a recondução, é um madeirense, tem currículo na matéria, manteve um bom relacionamento institucional e fez um mandato positivo", sublinha.

 O presidente do CDS/PP, Lopes da Fonseca, disse que os centristas concordam com a recondução de Ireneu Barreto pelo "trabalho que realizou e pelas excelentes relações institucionais que manteve com o partido".

 O presidente do Grupo Parlamentar do PS na ALM, Jaime Leandro, defendeu que o "desejável era a extinção do cargo" porque "não é preciso um embaixador de Portugal da Madeira e ainda por cima numa época de austeridade cu-jas competências podiam ser exercidas por uma secção do Tribunal Constitucional ou na Presidência da República, são ainda os resquícios do colonialismo".

 Para Ricardo Lume, do PCP, a recondução está de acordo com “a posição política de Marcelo Rebelo de Sousa que é idêntica à de Cavaco Silva e todos os que colaboraram com ele, numa lógica de continuidade, vão, agora, servi-lo".

 Roberto Almada, do BE, realça que o partido não se mete nas decisões do Presidente da República mas espera que o representante da República seja "o garante da Constituição na Região Autónoma da Madeira e que continue a exercer o seu magistério de influência no sentido de dignificar a autonomia e a democracia na região".

 O deputado independente [ex-PND], Gil Canha, manifestou ser contra a existência de um representante da República na ordem constitucional portuguesa: "é uma figura decorativa, é uma espécie de clone do presidente do Governo Regional".

 "A fiscalização da constitucionalidade das leis emanadas da Assembleia Legislativa da Madeira devia ser feita por um gabinete junto da Presidência da República e, assim, poupava-se dinheiro e recursos", afirma.

 José Manuel Coelho, do PTP, declarou que Ireneu Barreto, como cidadão, "é uma boa pessoa" mas, do ponto de vista da política, "é um jarrão para enfeitar a democracia na Madeira".

 "Está a consumir o pouco dinheiro que resta dos contribuintes que podia ser canalizado para a contratação de novos médicos, novos enfermeiros e aquisição de medicamentos como os retrovirais", considerou.

 

* Ireneu Barreto diz  que fará o que puder  para"minimizar" os  problemas da Madeira

 

 O Representante da Repúbli-ca para a Madeira, Ireneu Barreto, disse estar satisfeito com a sua recondução no car-go e assegurou a sua colaboração para minimizar os problemas do arquipélago.

 "Eu estou satisfeito como é óbvio, eu sempre disse que se conseguisse suplantar as minhas dificuldades, se fosse convidado, teria muito prazer em aceitar e continuar como representante da República para a Região Autónoma da Madeira", comentou à margem de uma exposição sobre os 40 anos de autonomia, na Assembleia Legislativa.

Ireneu Barreto entende que poderá ajudar a região "apostado na cooperação institucional com os órgãos de governo próprio da região, seja com a Assembleia Legislativa, seja com o Governo Regional".

 Realçou ainda que fará o que puder "para que os problemas, que são alguns, que existem na região possam ser minimizados e ultrapassados", apontando entre estes o desemprego e a insularidade.

 Ireneu Barreto nasceu na Ponta do Sol, Madeira, a 5 de Fevereiro de 1941, é licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra e a 11 de Abril de 2011 foi nomeado, por des-pacho de Cavaco Silva, representante da República para a Região Autónoma da Madeira, cargo que foi reconduzido pelo presidente eleito, Marce-lo Rebelo de Sousa.