Miguel Albuquerque reconhece a importância dos emigrantes espalhados por todo o mundo

0
114
Miguel Albuquerque reconhece a importância dos emigrantes espalhados por todo o mundo

Realizou-se nos passados dias 28 e 29 de Agosto, no Funchal, um encontro de elementos de comunidades madeirenses de férias na Madeira, que teve lugar no salão nobre da sede do Governo Regional, no qual o presidente Miguel Albuquerque se fez acompanhar pelos secretários regionais da Inclusão e Assuntos Sociais e dos Assuntos Parlamentares e Europeus, Rubina Leal e Sérgio Marques, respectivamente.

 Neste encontro, promovido pela Secretaria Regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus, o presidente Miguel Albuquerque, ao falar para  mais de uma centena de representantes das comunidades madeirenses,  mencionou que “há necessidade de ser aproveitado o grande potencial que a diáspora  espalhada pelo mundo representa para a Madeira, não só em termos afectivos e culturais, mas também ao nível económico e social. Estamos aqui neste salão nobre para auscultar as opiniões das comunidades, os seus problemas, tentando traçar políticas, assentes naquilo que são os desejos dos emigrantes.”

 No dia 29 de Agosto foram lidas, pelo secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus, Sérgio Marques, as dez conclusões deste encontro:

 1 – Criação do projecto “A Madeira Global”, que será um mecanismo institucional alternativo e como nova rede de cooperação e comunicação que responderá às necessidades actuais de relacionamento entre a Região e os seus naturais e descendentes.

 2 – Os representantes das comunidades serão designados pelos mecanismos à disposição da tutela, atendendo ao seu mérito e compromisso para com a Madeira e com as comunidades.

 3 – Reforçar o papel que a Madeira tem como epicentro da grande dispersão dos seus pelo mundo e para onde possam convergir, com a principal motivação a aprendizagem da lingua e a cultura dos seus antepassados.

 4 – Tornar a Universidade da Madeira a instituição privilegiada na dinamização de iniciativas conducentes à divulgação dos valores e costumes ou tradições madeirenses e das suas raizes.

 5 – Atendendo à cada vez  maior expressão económica das comunidades madeiren-ses, deverão ser agilizados os procedimentos de apoio, so-bretudo com vista aos investimentos na Região Autónoma.

 6 – Implementar o GRAME – Gabinete Regional de Apoio ao Madeirense Emigrante, de equipa reduzida e apoio presencial, via telefone e online na orientação e facilitação das questões burocráticas.

  7 – Implementar o RIME – Rede Internacional de Madeirenses Empresários, com vista a valorizar e dinamizar oportunidades de negócios onde estas existam.

 8 – Facilitar os investimentos na Região pelos madeirenses na diáspora e vice-versa – crescimento de empresas regionais para os mercados onde existam essas comunidades.

 9 – Potenciar o “sexto continente” corporizado pela Internet, um local de encontro comum onde se podem reproduzir universal, sectorial ou individualmente, encontros e fóruns.

 10 – Promover formas de a comunicação social divulgar e valorizar os casos de sucesso da diáspora e criar uma plataforma digital, ponto de encontro comum.