Meias-finais da Taça de Portugal: Schaars salva Sporting de derrota nos descontos

0
41
Meias-finais da Taça de Portugal: Schaars salva Sporting de derrota nos descontos

Um golo de Schaars em período de descontos evitou que o Sporting ficasse mais longe do Jamor, garantindo um empate por 2-2 frente ao Nacional, na primeira mão da meia-final da Taça de Portugal de futebol.

 Foi um Sporting em modo “poupança” aquele que se apresentou em Alvalade: como prometido Domingos Paciência, em gestão de recursos, deu descanso a Carrillo e Capel e apostou em Matías Fernández e Jeffrén, que não fazia parte do “onze” desde 30 de Outubro, altura em que se lesionou frente ao Feirense.
 Pela frente os sportinguistas tinham o motivado Nacional, vindo da primeira vitória na era Pedro Caixinha, ou seja, do primeiro triunfo em nove partidas.

 Sem pressão, os madeirenses, especialistas em passar eliminatórias da Taça de Por-tugal na lotaria de grandes penalidades, preocuparam-se em defender, deixando as despesas do ataque para os “leões” que perderam o melhor marcador desta edição da prova logo aos 11 minutos.
 Van Wolfswinkel lesionou-se (foi substituído por Bojinov) e o ataque do Sporting encontrou novos protagonistas, primeiro em João Pereira, que depois de vários toques na área, rematou ao lado, ao minuto 17, depois em Matías Fernandez, que disparou à entrada da área por cima de Vladan, e finalmente em Insúa, que na resposta a um canto, cabeceou para fora (25).

 Invisível, mas eficaz, o Nacional ameaçou aos 31 minutos, com Rondon a não chegar a um cruzamento de Skolnic. Seria apenas um aviso para o que aconteceu cinco minutos depois, quando o mesmo Rondon, em resposta a um livre marcado por Candeias, não falhou ao primeiro poste.
 Domingos sentiu-se obrigado a mexer na equipa e fez entrar Carrillo para o lugar de Renato Neto, mas os contratempos sportinguistas continuaram, com Polga a perder uma bola e Candeias a aproveitar o erro para correr isolado até à baliza e, sem se deixar intimidar pela presença de Rui Patrício, fixar o marcador em 2-0 mesmo em cima do intervalo.

 Com as substituições esgotadas (entrou Capel), o Sporting apareceu dinâmico e perigoso, com Matias Fernández a testar Vladan na entrada da área, obrigando o guarda-redes do Nacional a uma boa defesa.
 O desejo de golo dos “leões” atrapalhou a equipa, com as sucessivas aproximações à área madeirense a revelaram nervosismo e ansiedade, bem espelhados na melhor oportunidade de golo, perdida sucessivamente por Bojinov, isolado e de baliza aberta, e por Carrillo, que na recarga atirou para as nuvens, ao minuto 61.
 O Sporting só tranquilizou com a expulsão de Márcio Madeira (67), momento determinante para que os “leões” voltassem a tomar as rédeas do jogo e conseguissem che-gar ao golo, através de Elias, aos 75.

 Vladan, obrigado a um despertar tardio no encontro, evitou o mais que pode o ine-vitável empate, protagonizando uma série de grandes defesas e negando a um irrequieto Elias o segundo golo.
 Mas o Sporting não desistiu de sair de Alvalade com o empate e, ao sexto minuto de compensação, com toda a gente na área, Rui Patrício incluído, fez a festa do golo de Schaars, que conseguiu que o seu livre evitasse a confusão e fosse parar dentro das redes do Nacional.