Médicos portugueses deslocam-se a Moçambique para dar formação no sector da cirurgia

0
72

 A Associação portuguesa Health4Moz – Health for Mo-zambican Children and Fami-lies vai realizar em Fevereiro duas missões a Moçambique, uma para ensinar cirurgias às cataratas e outra na área das doenças cardiovasculares, disse a presidente.

 As missões, segundo Carla Rêgo, irão decorrer entre os dias 4 e 9 de Fevereiro, nas cidades de Maputo e da Beira, incidindo na área cardiovascular, e entre 4 e 14, na capital moçambicana, dando formação na especialidade de oftalmologia.

 Na primeira situação, a equipa será formada por dois professores de medicina interna da Faculdade de Medicina do Porto Jorge Polónia e Joana Pimenta que, ao abrigo de protocolos com as Ordens dos Médicos de ambos os países darão formação a 50 médicos em Maputo e a 40 na Beira.

 “Moçambique é um país em transição nutricional, onde continuam a verificar-se grandes problemas ao nível da desnutrição mas, ao mesmo tempo, onde vão aumentando os casos de doenças não-comunicáveis, como doença cardiovascular, diabetes e cancro, daí esta formação numa área que para eles, num contexto epidemiológico, é ainda recente”, explicou a presidente da Organização Não-Governamental de Desenvolvimento (ONGD).

 Em Maputo, naquela que será a 13.ª missão ao país, Ca-rolina Vale, da Unidade Local de Saúde de Matosinhos, e Luís Mendonça, do Hospital de Braga, ambos colaboradores da Iberoftal, empresa especializada na prestação de cuidados de saúde na área da oftalmologia, darão formação na área de oftalmologia ao mesmo tempo que, em colaboração com os “colegas do Hospital da Matola e do Hospital de Mavalane, tratarão cirurgicamente mais de 400 doentes com catarata”, disse.

 A missão que ocorre em parceria com a Fundação Riswan Adatia visa combater através da introdução de novas técnicas de cirurgia das cataratas uma “doença prevalente e que ataca muito cedo a população”.

 Estas viagens inserem-se nos programas e projectos de cooperação para o desenvolvimento e de assistência humanitárias daquela ONGD, em Moçambique, nas áreas da saúde, educação, assistência médica, medicamentosa e alimentar.