Marítimo venceu com sérias dificuldades o Nacional da Madeira

0
152
Marítimo venceu com sérias dificuldades o Nacional da Madeira

Marítimo venceu com sérias dificuldades o Nacional da MadeiraAinda não foi desta que o União voltou aos triunfos. Mas os homens da II Liga deram boa réplica perante um Marítimo que se mostrou pouco esforçado, gerindo o seu maior poderio. Depois de estar a vencer por 2-0, sem muito fazer para tal, os maritimistas deixaram-se empatar, mas Baba entrou e resolveu a contenda da Taça da Liga, marcado o terceiro golo da equipa de Pedro Martins.

 O “caldeirão” dos Barreiros voltou a acolher um dérbi entre União da Madeira e Ma-rítimo.
 O último tinha acontecido a 21 de Maio de 1995, com as duas equipas a empatarem 2-2. Esta tarde, reviveram-se esses momentos de paixão entre os dois clubes.

 Os verde-rubros apresentaram-se sem alguns dos seus habituais titulares, mas com uma equipa moralizada e fiel aos seus princípios de jogos, assentes num 4x3x3. O conjunto da II Liga, atravessa um mau momento vindo de quatro derrotas consecutivas. E o técnico João Abel apostou nos seus principais jogadores.
 Os azuis e amarelos até começaram bem o encontro, com Ávalos a cabecear ao poste logo no primeiro minuto após um canto apontado por Bruno.
 Até aos 15 minutos, o União teve posse de bola e os pupilos de Pedro Martins só fizeram o primeiro remate aos 15 minutos por Danilo Dias para uma boa defesa de Matt Jones.

 Só que, em escassos dois minutos, e contra a corrente do jogo, os maritimistas marcaram aos 21 por Pouga e aos 22 por Marquinho, com Matt Jones a ficar mal na foto neste segundo tento.
 Mesmo assim, os unionistas reduziram aos 28 minutos, colocando mais justiça no marcador, com Tozé Marreco a cabecear bem após um canto de Bruno.
 Salin também não ficou isento de culpas no lance. Até ao intervalo, nada mais de relevante.
 A segunda parte estava monótona e sem grandes motivos de interesse. Até que, ao minuto 59, Tozé Marreco caiu na área, mas Rui Costa estava perto e mandou jogar.

 Mas no lance seguinte, numa insistência do mesmo jogador, com a defesa maritimista a não conseguir aliviar a bola, Tozé rematou rasteiro e empatou a contenda.
 A resposta do Marítimo surgiu de imediato, com Roberto Sousa a rematar à barra. A toada do jogo manteve-se morna em termos futebolísticos e com maior incidência nas “picardias”.

 Ao minuto 80, Nuno Silva rematou bem mas Salin defendeu melhor. E Baba, que tinha entrado nesse minuto, pegou na bola e resolveu, com um excelente trabalho aos 83 minutos, num remate muito colocado. Foi chegar, ver e marcar.
 O Marítimo sem grande entusiasmo acabou por chegar à vitória, perante um União que deu boa réplica, mas pequenas distracções foram fatais.