Marcelo felicita Macron eleito novo Presidente da França

0
52
Marcelo felicita Macron eleito novo Presidente da França

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou ontem Emmanuel Macron pela histórica eleição, considerando que esta escolha representa uma vitória para a França e Europa e dos mais elementares valores da Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

 Através de uma mensagem telegráfica à qual a agência Lusa teve acesso, o Chefe de Estado transmitiu a Emmanuel Macron, em seu nome e "em nome de todos os portugueses, as mais sentidas felicitações pela histórica elei-ção" como Presidente da República Francesa "O povo francês decidiu hoje, sábia e soberanamente, eleger vossa excelência para o mais alto cargo da nação. Esta escolha em vossa excelência representa uma vitória para a França e para a Europa, e igualmente uma vitória da democracia e do estado de direito. Uma vitória dos mais elementares valores da liberdade, igualdade e fraternidade que fizeram da França uma referência no mundo", enfatizou.

 Na opinião de Marcelo Rebelo de Sousa, estes são os "valores que alimentaram o rasgo de intelectuais portugueses e que serviram de farol a inúmeros emigrantes portugueses que, em épocas de maior privação, escolheram França como seu destino".

 "Registo com apreço o acolhimento então sentido, a hospitalidade e a determinação das autoridades francesas em promover uma adequada integração", recordou.

 O Presidente da República realçou ainda "o sucesso desses emigrantes de então, a que se juntam tantos outros nos dias de hoje, de cariz e formação distintas".

 "Apraz-me registar que todos eles contribuem activamente para o progresso económico e social de França, como aliás pude testemunhar ao celebrar, pela primeira vez na história, o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas no ano passado em Paris", salientou.

 O centrista Emmanuel Macron foi eleito Presidente de França com um intervalo entre 65,5 a 66,1% dos votos, segundo as primeiras projecções divulgadas após o fecho das urnas.

 

 As estimativas atribuem a Marine Le Pen (extrema-direita) uma votação entre 33,9% e 34,5%.

 Os valores foram avançados pelos institutos de estudos de mercados Ifop e Harris Interactive, citados pela agência France-Presse, cerca das 20:00 em França.

 Segundo uma estimativa da empresa de sondagens Ipsos-Sopra Steria para vários órgãos franceses, a abstenção ter-se-á situado nos 25,3%, a maior taxa numa segunda volta em eleições presidenciais desde 1969.

 A participação terá sido assim de 75,7%, menos três pontos percentuais que na primeira volta, a 23 de abril, em que 77,77% dos eleitores franceses foram às urnas. É também a primeira vez desde 1969 que a participação na segunda volta é inferior à da primeira.

 Estes dados apontam para uma vantagem de 30 pontos de Macron sobre a sua rival.

 Os resultados de Macron são melhores do que as sondagens tinham indicado nas duas semanas entre a primeira e a segunda voltas.