Maputo e Marracuene com rede de distribuição de gás natural

0
104
Maputo e Marracuene com rede de distribuição de gás natural

O Projecto de Distribuição de Gás de Maputo e Marracuene (PDGM), que se destina a abastecer de gás natural as famílias e as empresas daquelas regiões, foi inaugurado, informou o jornal Notícias, de Maputo.

 A distribuição e comercialização de gás natural naquelas duas regiões foi entregue em concessão em Novembro de 2009 à estatal Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH), que estabeleceu a parceria ENH-Kogas com a Kogas, da Coreia do Sul, empresa que financiou o projecto na totalidade, com 38,2 milhões de dólares.

 As obras de construção da rede do PDGM iniciaram-se a 24 de Abril de 2013, com uma duração prevista de um ano, tendo sido concluídas no dia 30 de Maio de 2014, indo este projecto consumir cerca de seis milhões de gigajoules de gás extraído nos campos de Pande e Temane, operados pela companhia sul-africana Sasol.

 O gás chega a Maputo através do gasoduto da Matola Gas Company (MGC), que está ligado, em Ressano Garcia, ao gasoduto que parte de Pande até Secunda, na África do Sul.

 O gasoduto da MGC transporta gás natural até à zona industrial de Beluluane e à zona industrial da Matola.

 Na inauguração do empreendimento, o presidente de Moçambique salientou que a distribuição do gás natural vai permitir que o Estado economize muitas divisas na importação de combustíveis, facto que terá, obviamente, impacto na balança de pagamentos e no Produto Interno Bruto (PIB).

 Com a inauguração do PDGM, disse Armando Gue-buza, Moçambique passou a ter disponíveis mais 50 mW de electricidade, o que irá contribuir para poupar cerca de 25 milhões de dólares gastos na sua importação.