Manuel Fernandes é nono técnico a sair esta época

0
192
Manuel Fernandes

Manuel FernandesManuel Fernandes, que chegou a acordo com o Vitória de Setúbal para a rescisão do contrato que tinha até 2012, é o nono treinador a deixar uma equipa, em 21 jornadas da Liga portuguesa de futebol.

  O Vitória de Setúbal perdeu o último jogo sob o comando de Manuel Fernandes com o Paços de Ferreira (0-2), e já não ganhava para o campeonato há seis jogos, tendo al-cançado o último triunfo em Portimão (4-3), na 15.ª ronda.
  Segunda-feira, o protagonista foi Leonardo Jardim, que apresentou a demissão do co-mando técnico do Beira-Mar, 10.º colocado.
  O técnico abandonou os aveirenses depois da derrota em casa com o “lanterna verme-lha” Portimonense (0-1), adiantando que não aceitou uma proposta de renovação e garantindo não ter acordo com qualquer clube.

  Na véspera da 20.ª jornada, tinha sido Paulo Sérgio a deixar o comando técnico do Sporting, na terceira posição, a 23 pontos do líder FC Porto e 15 do Benfica, 2.ºclassificado, e fora da Taça de Portugal e da Europa.
  O agora ex-treinador dos “leões” foi substituído por José Couceiro, director-geral da SAD, que se estreiou quarta-feira frente ao Benfica, nas meias-finais da Taça da Liga.
  Antes, foi José Guilherme a demitir-se na Académica, sendo substituído por Ulisses Morais – o terceiro técnico dos “estudantes” esta época -, que começou da melhor forma, com um triunfo por 2-0 em Guimarães.

  José Guilherme cumpria em Coimbra a sua estreia como treinador principal, mas teve um início pouco auspicioso, já que somou quatro derrotas e dois empates nos seis jogos da Liga que a equipa disputou sob o seu comando.
  O holandês Mitchell van der Gaag foi o primeiro treinador a ser despedido, tendo deixado o Marítimo à quarta jornada.
  Antes de ser substituído por Pedro Martins, levou a equipa insular ao “play-off” da Liga Europa, mas somou apenas um ponto na Liga.
  A Naval 1.º de Maio já despediu dois treinadores, o último dos quais Rogério Gonçalves, após a 14.ª jornada, após ter dispensado o francês Victor Zvunka.

  A 11.ª derrota em 14 jornadas, em casa, face à União de Leiria, levou os responsáveis a decidirem-se pela saída de Rogério Gonçalves, quando a equipa era última.
  O brasileiro Carlos Mozer assumiu, após um jogo na Taça da Liga sob o comando do interino Fernando Mira, e estreou-se a ganhar, em Guimarães (2-1).

  O Portimonense também trocou de treinador à 14.ª jornada, substituindo Litos por Carlos Azenha.
O agora técnico do Leixões falhou os dois primeiros treinos após as férias natalícias e, depois de um início de campeonato irregular, foi afastado, no penúltimo lugar, com nove pontos.

Longe ficou o mérito de ter levado o Portimonense à subida de divisão, na época passada.
Ainda antes do início da época, Lito Vidigal protagonizou uma polémica saída da União de Leiria, agora orientada por Pedro Caixinha.