Manifestantes suspendem protestos na Suazilândia

0
55
Suazilândia

SuazilândiaOs protestos pró-democracia na Suazilândia, convocados por estruturas sindicais, foram suspensos na quarta-feira à noite “mas podem voltar a qualquer momento”, disse à Lusa uma activista.

 “A liderança decidiu suspender os protestos, mas pode voltar a convocá-los a qualquer momento”, disse Mary Pais da Silva, justificando a decisão com as prisões dos responsáveis pela marcha que exigia a queda do governo suazi e que, iniciada a 12 de Abril, deveria durar, pelo menos, três dias.
 Um poderoso aparato policial, apoiado por elementos do exército, tomou conta das duas principais cidades do país, Mbanane, a capital, e
Manzini, inviabilizando a realização da marcha, um protesto “ao estilo do norte de África”, com que os sindicatos queriam derrubar o governo da última monarquia absoluta em África.

A prisão dos seus líderes, ainda antes do início da marcha, contribuiu para a confusão entre os seus apoiantes que praticamente não conseguiram realizar qualquer protesto visível.
Mary Pais da Silva, do Conselho da Suazilândia para a Democracia, disse que todos os líderes sindicais já tinham sido libertados, mas, constatou a Lusa, alguns deles continuam com os seus telefones bloqueados.

Um jornalista do Times of Swaziland disse que a presença policial continua forte em Manzini, a segunda cidade e capital económica do país, mas que reina ali “um ambiente de calma”.
Os líderes sindicais deverão decidir na terça-feira as acções a tomar nos próximos dias.