Mandado de captura contra Malema

0
120
Mandado de captura contra Malema

Um mandado de captura contra Julius Malema foi emitido, mas a advogada Nicqui Galaktiou conseguiu diligenciar junto das autoridades para que o ex-presidente da Liga da Juventude do ANC se apresentasse voluntariamente à Polícia e, assim, estará na próxima quarta-feira no Tribunal de Polokwane.

 O semanário “City Press” refere que a procuradora da República, Thuli Ma-donsela, conclui que Julius Malema fez os seus milhões dum fraudulento e possivelmente corrupto concurso, que foi ganho por On-Point Engineers para fazer estradas no Limpopo.
 O Ratanang Family Trust, de Malema, é um dos accionistas de On-Point, a quem foi atribuído um projecto de 52 milhões de randes.
 Vão ser instituídos procedimentos legais contra On-Point e seus accionistas (incluindo o Malema’s Trust) para recuperar benefícios financeiros ilícitos.
 O Ministério das Finanças colocou na lista negra On-Point e Lesiba Gwangwa, o sócio de Julius Malema.
 Pagamentos duplicados feitos a On-Point vão ser recuperados.
 Também foram tomadas medidas disciplinares contra os membros do comité de adjudicação que atri-buiram o concurso a On-Point, enquanto que o Conselho de Engenheiros da África do Sul vai investigar a conduta de Lesiba Gwangwa.
 Foi solicitado ao Mestre do Tribunal Superior para investigar a administração dos “trusts” das famílias de Malema e de Gwangwa.
 O NPA/National Prossecuting Autority e Asset Forfeiture Unit/Unidade de Confiscação de Bens estão a considerar tomar medidas urgentes de acção criminal.
 Por outro lado SARS/
South African Revenue Service instituiu na sema-na passada um processo contra Julius Malema pelo não pagamento de impostos no valor de 16 milhões de randes ao Ministério das Finanças, podendo as autoridades confiscar os bens de Juju, nomeadamente a sua mansão de rés-do-chão e primeiro andar em Sandton (ainda em construção), uma farm com habitação em Limpopo e uma casa em Polokoane.
 Conhecida por “Limpopo Mafia”, Malema e mais oito acusados vão ser presentes ao juiz do Tibunal de Polokwane para responderem sobre acusações de lavagem de dinheiro que ascendem a 100 milhões de randes – anuncia na edição de ontem o “Sunday Times”, o maior jornal da África do Sul.