Mais portugueses pedem residência em Macau

0
113
Mais portugueses pedem residência em Macau

Uma média mensal de 20 portugueses requereu, ao longo do ano passado, o Bilhete de Identidade de Residente (BIR) de Macau, o valor mais elevado desde a transferência do exercício de soberania, em dezembro de 1999.

 Dados facultados pela Direcção dos Serviços de Identificação (DSI) indicam que, no ano passado, um total de 245 cidadãos de nacionalidade portuguesa solicitou, pela primeira vez, a emissão do bilhete de identidade da Região Administrativa Especial.

 Em 2011, foram 214 os pedidos entrados por cidadãos de nacionalidade portuguesa, contra os 164 contabilizados em 2010.

 Do total de requerimentos submetidos, a maior fatia (205) visou a obtenção do título de residente não permanente, enquanto os restantes 40 a obtenção da residência permanente – concedido aos que nascem, habitam ou habitaram no território antes ou depois da transição, em 1999, durante sete anos consecutivos.

 Até 3 de Janeiro, 5.328 cidadãos de nacionalidade portuguesa eram portadores de BIR, de acordo com os dados facultados pela DSI.

 Macau tem voltado a figurar como destino para muitos portugueses que procuram fugir à crise e partem em busca de oportunidades.

 O ano mais fraco em termos de solicitações de residência por parte de nacionais foi em 2004, com o registo de 58 pedidos, dos quais apenas seis relativos a um primeiro pedido para concessão de residência não permanente.

 Em Macau, de acordo com os dados do consulado português, estão inscritos cerca de 125.000 cidadãos nacionais, com uma larga maioria de pessoas de etnia chinesa.

Já a população macaense – de origem portuguesa e chinesa – deverá variar entre 10.000 a 15.000 enquanto os portugueses oriundos de Portugal não deverão ultrapassar 3.000 pessoas.