Madeirenses da Àfrica do Sul organizaram durante cinco dias no Estreito da Calheta Arraial em honra do Santíssimo Sacramento e da Nossa Senhora da Graça

0
164

Aproveitando as férias de Verão, um grupo de amigos do Estreito da Calheta residentes na África do Sul, levou a efeito  de 11 a 15 de Setembro, naquela freguesia, um arraial para celebrar a festa do Santíssimo Sacramento e da Nossa Senhora da Graça. Duran-te os cinco dias, centenas de pessoas, entre locais, turistas e emigrantes, participaram nos convívios que tiveram várias actividades religiosas e muito entretenimento.

 Não faltou animação todos os dias com apresentação de Xavier Agrela,  convívio pelas barracas com Banda Municipal, da Câmara de Lobos, Os mal’amanhados, Buzico e o seu acordeão mágico, despiques e desgarradas da Aldora e amigos, entre outros grupos convidados de toda a Ilha.

 No primeiro dia, 11 de Agosto, o programa foi preenchido pela girândola de fogo, missa solene, actuação da Banda Municipal da Câmara de Lobos, do artista João Quintino e as Tinas, Electroband e suas bailarinas, fogo de artifício, Jorge Ferreira e sua banda (directamente dos EUA), e ainda o DJ Sil.

 Já no domingo, 12 de Agosto, houve missa solene seguida de procissão, actuação da Banda Municipal da Câmara de Lobos, Grupo Folclórico Monteverde, Banda Fixe, Sidónio Silva e sua banda, Chris Ribeiro Show (vindo de França) DJ & MC PartyRocker (aKa Daniel Caires).

 No dia 13 a festa contou com uma novena – missa, Buzico e sua banda, 4 Litro e DJ SiD G.

 No dia 14 de Agosto (véspera de feriado), houve girândola de fogo, missa solene, Banda Municipal da Câmara de Lobos, The Grumpies, Álvaro Florença, Kontraband, DJ Sérgio Soares.

 No último dia do convívio, 15 de Agosto, o programa contou com missa solene, actuação da Banda Municipal da Câmara de Lobos, Grupo de Cordas da Fajã da Ovelha, Grupo da Aldora – A rainha do Despique, Banda “Amigos da Música”, Rúben Aguiar e sua banda, despedida com a banda e festeiros, Deejay Adam “Fire”.

 De salientar que os festeiros foram os amigos do Estreito da Calheta, residentes na África do Sul, sendo as entradas gratuitas e abertas ao público em geral.

 

* MENSAGEM DE AGRADECIMENTO

DE JOSÉ DE ACHADINHA

 

 José de Achadinha, um dos festeiros, fez questão de deixar na cerimónia do encerramento uma mensagem de agradecimento bastante significativa:

  Boa tarde a todos. Good afternoon everyone.

 Gostaria de fazer uns agradecimentos, mas antes disso, queria  mencionar como é que esta festa da Nossa Senhora da Graça de 2018 teve início. Partiu de um grupo de amigos durante um convívio na África do Sul, entre eles Vicente Ferreira.

 Inicialmente o grupo de festeiros era composto por 20 elementos, todos comerciantes na África do Sul, com a finalidade de fazer esta festa para agradecer a Nossa Senhora da Graça, por ter ajudado e protegido os nossos imigrantes na África do Sul, tanto em saúde como financeiramente.

 Nos últimos quatro anos, muitos dos 20 festeiros, por vários motivos, tiveram que se retirar, mas mesmo assim o Vicente ainda conseguiu arranjar 10 festeiros. Eu fui convidado para fazer parte deste grupo há dois anos o que com prazer aceitei logo, para poder compartilhar o  sentimento com os meus amigos festeiros e também porque o meu pai também foi um dos quatro festeiros desta mesma festa há 50 anos, em 1968, quando era imigrante na África do Sul.

A maior razão porque aceitei o convite, foi para continuar com esta tradição com a nova geração madeirense do Estreito da Calheta e agradecer a Nossa Senhora da Graça, tudo o que tem feito por nós.

 Por isso, a nossa organização é chamada “Amigos do Estreito da Calheta residentes na África do Sul”.

 É com muito orgulho que somos festeiros desta grande festa, porque temos o Estreito da Calheta no nosso sangue e nas nossas raízes.

 Esta festa não seria possível sem a juda de muitas pessoas, que gostaria de agradecer, como o Padre Rui e seus ajudantes, tanto no Altar, como durante os cinco dias na missa.  À Fátima e sua equipa de trabalho, às senhoras Ivonne e Verónica pela linda decoração com flores na igreja, aos irmãos do Santíssimo Sacramento, às senhoras que enfeitaram com flores o pátio da igreja e a um dos nossos festeiros João de Sá, que recebeu a capa DE IL.

 Também queremos agradecer ao amigo Daniel Caires na organização da festa, à população do Estreito da Calheta, à rádio Calheta, aos músicos e DJ’s, aos cantores e artistas, aos fotógrafos, muito em especial ao Carlos Silva, do jornal O Século de Joanesburgo na África do Sul, ao Rui Silva e Gonçalo Soares, das barracas da Poncha do Barbas e a Poncha do Povo, à Polícia e à Camara da Caheta, ao senhor Clemento e a todos os imigrantes da África do Sul que participaram na festa, muito em especial ao Vicente e sua esposa. Gostaria de pedir perdão, se involuntáriamente me esqueci de mencionar alguém.