Madeira com perspectivas de melhor ano de sempre para o sector do Turismo

0
31
destaque

O ano de 2016 deverá ser o melhor de sempre para o destino turístico Madeira, afirma o secretário regional da Economia Turismo e Cultura, apontando os crescimentos consecutivos” nos indicadores do sector.

 “Naquele que deverá ser o seu melhor ano de sempre, o destino Madeira cresce, consecutivamente, mês após mês, em todos os seus indicadores de produção mas, es-pecialmente, na sua rentabilidade”, afirmou Eduardo Jesus à agência Lusa.

 Para o governante, “há boas razões para todos estarem satisfeitos”.

 Segundo dados divulgados na terça-feira pela Direcção Regional de Estatística da Madeira (DREM), as primeiras estimativas da actividade turística neste arquipélago relativas a setembro último “apontam para um acréscimo de 5,4% das dormidas nos estabelecimentos hoteleiros em comparação com o mês homólogo”.

  Em termos absolutos, foram registadas nesta região cerca de 697,7 milhares de dormidas em setembro, “11,8% do total das dormidas ocorridas em território nacional”, adianta esta direcção regional.

 “Ainda no que se refere às dormidas é de assinalar que, de janeiro a setembro de 2016 estas cresceram 8,9% na Madeira, fixando-se a estada mé-dia neste período em 5,4 noites”, refere.

 “Por sua vez, a taxa de ocupação (cama) em setembro de 2016 atingiu os 78,5% e os proveitos totais aproximaram-se dos 38 milhões de euros, tendo aumentado 15,5% em relação a setembro de 2015”, adianta a DREM.

 Já o RevPAR, que mede o proveito obtido por quarto disponível, atingiu os 56,67 euros, mais 16% que no mesmo mês de 2015.

 “A média dos primeiros nove meses de 2016 foi de 50,11 euros (mais 16,3% em relação ao período homólogo)”, acrescenta a DREM.

 Reino Unido e Alemanha são os dois principais mercados emissores, com 27,5% e 22,6% das dormidas em setembro respectivamente, representando o mercado nacional 12,6%.

 O secretário regional da Eco-nomia, Turismo e Cultura des-tacou o número de dormidas este ano, que ultrapassou 5,7 milhões entre janeiro e setembro, realçando, também as receitas do sector ou a taxa média de ocupação.

 “Temos hoje uma capacidade diferente de atender às oportunidades, de cativar o turista que nos visita, fidelizando-o com base numa promoção mais próxima e interactiva. E, naturalmente, temos o mais importante, excelentes profissionais ao serviço e uma população envolvida na arte de bem acolher todos aqueles que nos visitam”, sublinhou Eduardo Jesus.

 Salientando que para os bons resultados contribuiu o que designa por “uma nova atitude" de quem trabalha nesta área, o governante considera que os dados alcançados “representam uma grande responsabilidade”.

“Os reconhecimentos que o destino soma e a notoriedade que se reforça obrigam a avançar para um outro patamar, o da requalificação”, considerou.

 Na opinião de Eduardo Jesus, “actualmente a Madeira não só se vende mais, como se vende melhor, e há um maior equilíbrio entre a qualidade e o preço associado”.

 “Há também, uma maior expectativa à qual é preciso responder, o que só pela via da requalificação será possível”, acrescentou.