Madeira apela à transferência rápida para a Região dos 1500 milhões euros do empréstimo do Estado

0
35
Madeira apela à transferência rápida para a Região dos 1500 milhões euros do empréstimo do Estado

A Comissão Política Regional do PSD-M decidiu apelar ao Governo da República que transfira o mais rapidamente possível os 1.500 milhões de euros do Programa de Ajustamento Económico e Financeiro da Madeira.

 Decidiu exigir da República Portuguesa a defesa do Centro Internacional de Negócios da Madeira e defendeu que, na próxima revisão da Lei de Finanças Regionais, as despesas com a Educação e a Saúde sejam acometidas ao Estado conforme estatui a Constituição.
 "A Madeira terá de ter cada vez mais uma posição firme na defesa da autonomia e dos interesses da Região perante a República", disse o candidato à presidência do partido nas eleições e no congresso de 2014, Manuel António Correia, que foi o porta-voz das decisões da Comissão Política Regional do PSD-M.
 Manuel António Correia adiantou que as preocupações da Comissão Política centraram-se em três aspectos: "Necessidade de rapidamente chegar à Região, às famílias, às empresas e à casa de cada cidadão o dinheiro do empréstimo previsto da República".
 "Quem está a gerir este processo perceba e tudo faça para que esse dinheiro chegue à nossa economia", disse.
 Indicou ainda a necessidade da defesa do Centro Internacional de Negócios da Madeira: "Exigimos mesmo do Governo da República que, quer nas opções internas que toma, quer na relação e nas negociações com a União Europeia, esta questão seja cada vez mais premente e vista como uma das soluções mais fortes para este momento financeiro".
 Revelou ainda que a Comissão Política do PSD-M defendeu que, numa próxima revi-são da Lei de Finanças Regionais, fique estabelecido que as despesas na Educação e Saúde sejam da responsabilidade do Estado, conforme estabelece a Constituição, porque "cerca de 60 por cento da despesa pública total da região tem a ver com estes sectores".
 Manuel António Correia referiu ainda que a Comissão não debateu a sucessão no partido, nem as eleições autárquicas de 2013, questões que serão debatidas após a festa do PSD-M do Chão da Lagoa, que terá lugar a 22 de Julho e, particularmente, em 2014 altura das eleições internas e do Congresso Regional do partido.
 A Comissão manifestou ainda a esperança de que o PSD de Berta Cabral ganhe as eleições regionais nos Açores.