Lusofonia na Feira Internacional de Macau

0
73
Lusofonia

LusofoniaA 14ª edição da Feira Internacional de Macau, que terminou domingo, contou com 288 delegações de 61 países e regiões, entre os quais sete países de língua portuguesa, que teve a maior participação de sempre no evento.

Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e Timor-Leste estiveram unidos no Pavilhão dos Países de Língua Portuguesa para promover oportunidades de negócio e investimento e Portugal teve o seu próprio espaço de exposição na Feira Inter-nacional de Macau, que teve portas abertas entre quinta-feira e domingo no centro de convenções do hotel The Venetian.

 De acordo com a organização, o estado brasileiro de São Paulo teve este ano pela primeira vez o seu próprio pavilhão na feira com quatro stands e o Brasil enviou a maior delegação de sempre ao evento.
 Lee Peng Hong, presidente do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau, responsável pela organização da feira, salientou em conferência de imprensa que “a participação dos países de língua portuguesa foi este ano a maior de sempre, o que permitiu reafirmar o papel de Macau como plataforma de negócios entre a lusofonia e a China”.

 “Entendemos que o interesse sobre os países de língua portuguesa pelo continente chinês e empresários chineses é cada vez maior e, nesse sentido, Macau tem como estratégia a longo prazo trabalhar com os países lusófonos”, sustentou.

 Segundo a coordenadora do Gabinete de Apoio ao Secretariado Permanente do Fórum Macau, Rita Santos, houve deslocação a Macau de “mais de 100 individualidades da lusofonia, entre empresários e representantes dos organismos de promoção do comércio e investimento”.

 Os sete embaixadores dos países de língua portuguesa em Pequim também deslocaram-se à Feira Internacional de Macau para participarem num seminário sobre as oportunidades de negócio entre as comunidades empresariais da China e dos países lusófonos.