Lusodescendente Margarida Silva, Miss West Rand, desenvolve exemplar trabalho de solidariedade

0
170
Lusodescendente

LusodescendenteA jovem lusodescendente Margarida Pereira da Silva  termina o seu reinado de “Mogale Tourisms Miss West Rand 2009/10” em Setembro próximo, tendo no sábado passado, no Krugersdorp Centenary Hall, sido eleita a sua sucessora, que irá trabalhar em conjunto na familiarização e impulso dos projectos programados.

 Contactada pela Reportagem do “Século”, a jovem Margarida Pereira da Silva, de 25 anos de idade, natural de Krugersdorp onde ainda hoje vive, declarou que  “sou orgulhosamente filha de portugueses, meu pai Manuel Pereira da Silva (faleceu em 1998) e de Maria Margarida Gonçalves, ambos comerciantes e naturais do Estreito da Ca-lheta, Ilha da Madeira. Amo a nossa cultura, a nossa gastronomia,  e a nossa língua e sou reconhecida aos meus pais por me te-rem ensinado as nossas tradições lusas e a nossa língua que eu adoro falar”.

 Regista-se que Margarida  da Silva estudou a Língua Portuguesa na Universi-dade de Witwatersrand, tendo passado com distinção.
 Os seus passatempos favoritos, desde tenra idade, são tocar o piano e o violino, bem como cantar e dançar, recebendo aulas de professores privados.
 A sua trajectória escolar começou na Monument Primary School e na Aurora Private School. Frequentou o curso de Saúde e Cuidados da Pele, após o que ingressou na Universidade de Witwatersrand, em Joanesburgo, onde concluiu o seu bacharelato em Ciências de Movimento Humano e Psicologia.
 “Actualmente estou a fazer a licenciatura em bioki-nética. Trata-se de uma profissão que lida com o reforço dos músculos para proteger as articulações ósseas, aumentar a optimização física cardiovascular, bem como tratar de enfermidades crónicas como doenças do coração e diabetes. Nós, do ramo da biokinética, também ajudamos na reabilitação de desportistas feridos e em condições pós-operatórias que provocam a fraqueza dos ossos e dos músculos, portanto auxiliamos os doentes a voltar ao seu quotidiano normal após as lesões. Os profissionais de Biokinética são reconhecidos e registados no Conselho dos Profissionais de Saúde da África do Sul”.

 Solicitada a explicar a sua participação em activida-des de solidariedade social integradas no reinado de Mogale Tourisms Miss West Rand, a nossa entrevistada declarou que “tive o privilégio de dar o meu contributo à Fundação de Doadores de Coração e Órgãos, em West Rand, que ajuda indivíduos, em especial crianças que ne-cessitam de transplantes de coração ou de outros órgãos. Vendi bilhetes de rifa e conseguimos entregar mais de 10.000 randes à instituição”.

 Salientou também o convite que lhe foi feito pelos Rotários de Krugersdorp, “uma iniciativa de grande valor social, já que visa ajudar as comunidades na área do West Rand. Asssti a eventos, participei em reuniões, vendi ingressos para os eventos rotarianos e obtive patrocínios, por exemplo serviços de restauração (“catering”) e entretenimento, de modo a reduzir os custos das respectivas produções para angariar mais dinheiro para as instituições”.

 Margarida Pereira recordou que organizou um patrocínio para treino formal de dança dum rapaz de estrato carenciado em Kagiso, no West Rand.
 Revelou ao nosso Jornal que “o meu prémio monetário ganho no concurso Miss West Rand entreguei-o na totalidade à Pesquisa de Cancer e Alzeimer”.

 Inquirida sobre a sua cola-boração na actual Copa do Mundo de Futebol, a nossa entrevistada sublinhou que “estou envolvida em proporcionar hospitalidade lo-gística para grandes companhias sedeadas fora da África do Sul, dando as bo-as vindas aos estrangeiros e ajudando na tradução para Português quando for necessário”.
 Interessante assinalar que Margarida Pereira da Silva tem um diploma internacional em Saúde e Cuidados de Pele, sendo uma artista de “make-up” para noivas, tarefa que executa em “part time”.

 Recentemente Miss West Rand visitou o Lar da Terceira Idade da Sociedade Portuguesa de Beneficência, em Albertskroon, norte de Joanesburgo, onde entregou novelos de lã às velhinhas residentes: “distribui mais de 30.000 randes em novelos de lã para tricotar, a diferentes complexos geriátricos, entre os quais o Lar da Rainha Santa Isabel. Continuarei a trabalhar neste projecto e em outros, usando o meu título até ao fim do corrente ano. Gostei muito de conviver com os residentes idosos da SPB e continarei a visi-tá-los no futuro. Afinal, não só fazem parte da nossa Comunidade Portuguesa na África do Sul mas sobretudo, nós, os jovens, não devemos esquecer que foram eles que ajudaram a construir esta co-munidade em tempos e situações económicas mais difíceis para os emigrantes”.