Luso-canadianos batem recorde ao alcançarem sete cargos autárquicos no Ontário

0
142
luso-canadianos

luso-canadianosOs luso-canadianos garantiram um total de sete cargos municipais nas eleições no Ontário, Canadá, conseguindo um recorde de presenças nas autarquias da província.

 A nível geral, estas eleições deram novas caras às cidades de Toronto e Otava. Rob Ford impôs-se aos opositores e tornou-se no novo presidente de Câmara de Toronto, sucedendo a David Miller, enquanto em Otava o auto-assumido como “desajeitado” edil Larry O`Brien, que pedia segunda oportunidade ao eleitorado, cede o lugar a Jim Watson.

 A noite eleitoral trouxe bons resultados para os portugueses, já que em mãos luso-canadianas ficaram uma presidência de câmara, quatro posições de “trustees” (gestores) escolares e duas vereações, uma das quais é o regresso de portugueses à Câmara de Toronto.
 A vitória de Ana Bailão, em Toronto, pelo círculo de Davenport (bairro 18), colocou de novo uma presença portuguesa no grupo dos 44 vereadores da grande autarquia canadiana, o que motivou a festa na Casa dos Açores do Ontário, em Toronto, local que a vencedora escolheu para confraternizar com os apoiantes na segunda-feira.

Júlio Vilela, cônsul geral de Portugal em Toronto, Mário Silva, deputado federal canadiano, Charles de Sousa, deputado provincial no Ontário, o sindicalista Tony Dionísio, o empresário Frank Alvarez eram algumas figuras conhecidas presentes.
 Instado a comentar o resultado das eleições, o cônsul português acentuou que “a eleição de portugueses, como o caso de Ana Bailão para a Câmara de Toronto, é motivo de orgulho para toda a comunidade portuguesa”.
 Em Kingsville, Nelson Santos saboreou o triunfo do terceiro mandato à frente da autarquia, segundo confirmou o próprio.
 “O meu objectivo é trabalhar nos próximos quatro anos para Kingsville”, declarou, mas deixando no ar alguma incerteza, ao reafirmar ser fiel ao compromisso que assumiu para concorrer a eleições fe-derais, por ter sido nomeado o candidato oficial do Partido Liberal para o círculo eleitoral de Essex.

 Também três luso-canadianos viram confirmada a recondução aos cargos de gestores de direcções escolares. Com 54 por cento dos votos, Maria Rodrigues teve clara vitória no distrito eleitoral de Davenport (marcadamente português) para a comissão directiva das escolas públicas de ensino em inglês (Toronto District School Board – TDSB), sendo seguida pelo luso-canadiano e repetente na corrida, John Costa (com 17,9 por cento), com outro português, Helder Gomes, a ficar em último (3,9 por cento).

 Igualmente eleitos foram Eduardo Viana, em Halton-Oakville, e Manuel da Silva, em Waterloo-Cambridge, em-bora se tenham posicionando respectivamente em 3º. e 2º. lugares nos seus escrutínios.
 Frank Monteiro, também em Cambrigde, celebrou a sua estreia política, recolhendo um total de 1241 votos e a obtenção da vereação da ci-dade pelo bairro eleitoral 7.
 Peter Ferreira, político, dirigente associativo e consultor em imigração, arrecadou vitó-ria no escrutínio, pelo que regressa ao cargo de “trustee” na direção escolar católica de Dufferin-Peel, na região de Mississauga.

* Vereadora recém-eleita Ana Bailão  pretende envolver mais os portugueses na vida de Toronto

 A portuguesa Ana Bailão, recém-eleita vereadora na Câ-mara de Toronto, afirmou que irá procurar envolver mais os portugueses na vida comunitária da cidade de Toronto.
 A luso-canadiana, nascida em Alenquer, alcançou a ve-reação de Toronto, no círculo 18 do bairro de Davenport, conseguindo 43,7 por cento da votação (com um total de 6.277 votos), ficando mais dez pontos percentuais à fren-te do seu mais direto adversário, Kevin Bealieu, (34 por cento).
 A vitória de Ana Bailão traduz o regresso dos portugueses à vereação da Câmara de Toronto, que desde 2003 não conseguia presença portuguesa, na sequência de saída de Mário Silva, que se tornou deputado federal.

 Questionada sobre a vitória obtida, Ana Bailão considerou que “é uma grande alegria, mas é também uma grande responsabilidade” porque se trata de um bairro onde há “muito trabalho a fazer”.
 Sobre a comunidade portuguesa, que têm forte presen-ça no seu bairro eleitoral, respondeu: “Nós temos que fazer um esforço, já que vivemos numa sociedade que tem orgulho em ser multicultural, no sentido de fazermos com que as pessoas tenham uma participação plena na sociedade e, portanto, como vereadora deste bairro tão diversificado pretendo envolver cada vez mais os portugueses na vida do quotidiano comunitário”.

 O voto electrónico utilizado este ano pela primeira vez em Toronto permitiu um rápido apuramento dos resultados, em contagem real, e desde o anúncio dos primeiros resultados, Ana Bailão esteve sempre à frente o bairro 18, o que desde cedo gerou palmas e entusiasmo entre as cerca de três centenas de amigos e apoiantes que se juntaram na Casa dos Açores do Ontário, entre os quais o deputado federal canadiano Mário Silva.
 “Sinto-me muito contente com o apoio demonstrado para a Ana Bailão. Acho que vai ser uma excelente ve-readora na Câmara de Toronto. É uma pessoa de grande capacidade e de grande inteligência”, comentou Mário Silva.

 “Foi aqui que também iniciei a minha carreira política, neste bairro de Davenport e acho que também a Ana vai ter um excelente e brilhante futuro na política”, acrescentou o parlamentar de origem açoriana.
 Por seu lado, a mãe da candidata, Maria Beatriz Bailão, confessou que fez uma pro-messa a Nossa Senhora de Fátima.
 “Eram por volta das cinco, cinco e meia [da tarde de segunda-feira], fui à Igreja de Santa Helena [em Toronto] e acendi uma velinha a Nossa Senhora de Fátima”, disse, acrescentando que a filha merecia ganhar “porque tem trabalhado duramente para que tudo corresse pelo melhor”.
 “Quando eu for a Portugal, o primeiro passeio que eu vou é a Fátima e vou pôr cem dólares na Nossa Senhora de Fátima que eu lhe prometi, por causa da minha filha ter ganho”, concluiu Maria Beatriz Bailão.

Ana Bailão só entrou nas instalações para se juntar aos seus apoiantes cerca das 21:30, uma hora depois de ser declarada vencedora no seu bairro.