Luso-americano produz vinho na Califórnia com métodos tradicionais portugueses

0
198

O luso-americano David Teixeira, filho de pais que emigraram da Madeira para os Estados Unidos, criou a marca Lusu Cellars para produzir vinhos californianos feitos com métodos tradicionais portugueses.

  “Tento manter a minha produção neo tradicional, no sentido em que pego nas práticas tradicionais portuguesas de fazer vinho, que aprendi com os meus pais e nas temporadas que passei em Portugal, e reaplico-as a variedades historicamente relevantes na Califórnia”, disse à Lusa o produtor.

  David Teixeira salientou que “não é suposto ser vinho português, é vinho da Califórnia com um estilo português”, referindo que entre os seus produtos estão um vinho da Madeira da Califórnia e Rosé ao estilo vinho verde.

  “Pego em velhas técnicas que se esforçam por ser minimalistas, sem muitas adições”, explicou. “É basicamente apenas o vinho, um pouco de enxofre e tomilho. Tento manter-me fiel às práticas históricas numa adega moderna”.

  Depois de um ano 2020 em que foi obrigado a reduzir a produção e a procurar novos canais de venda, David Teixeira está em negociações para exportar os seus vinhos para fora dos Estados Unidos, registando interesse de importadores europeus e da Coreia do Sul.

  “Vinhos americanos vendidos na Europa é um mercado difícil”, reconheceu, frisando que este é um objectivo eventual. Neste momento, os vinhos da Lusu Cellars são vendidos na Califórnia, Colorado, Flórida, Nova Iorque e Washington, D.C.

  Teixeira cresceu com a família a aprender a fazer vinho como na ilha da Madeira. Depois, viveu um ano em Portugal e refinou o seu conhecimento e apreciação pelas várias técnicas ancestrais.

  “Cada vinho é muito bom a estabelecer uma interpretação do local. Tento fazer sobressair o que é mesmo bom naquela região”, descreveu, referindo que a abundância de fruta na Califórnia se faz sentir nas notas dos seus vinhos.

  O produtor disse que tem sentido o interesse e apoio da comunidade luso-americana, mas a maior parte das pessoas que visitam a adega e a área não são necessariamente ligadas à comunidade.

  Com o encerramento dos restaurantes por causa da pandemia de covid-19, a Lusu Cellars perdeu repentinamente 60% das vendas. “Tentei abrir novas áreas de venda, como supermercados locais, lojas de vinhos e aqueles negócios que ainda estão abertos”, afirmou.

 A actividade online, tal como com tantos outros negócios no último ano, também aumentou. A Lusu Cellars tem um clube de vinhos e um dos seus produtos faz parte do cabaz do serviço de subscrição de refeições pré-pedidas Blue Apron.

  “As vendas directas ao consumidor subiram, através do ‘website'”, disse Teixeira. “Estou a fazer entregas directas e a mudar parte do modelo de negócio”, acrescentou o produtor.

  Caracterizando a economia da pandemia como “uma montanha russa”, o lusodescendente disse esperar que 2021 seja melhor: “Planeei a minha produção a assumir que será melhor que no ano passado”.

  A Lusu Cellars está sediada em Berkeley, na costa leste da baía de São Francisco, Califórnia.