Lula nunca nos falou do que vai fazer a partir de Janeiro

0
68
Presidente do Brasil

Presidente do Brasil O Presidente do Brasil nunca falou ao governo sobre “o que vai fazer a partir de Janeiro”, quando deixar o cargo, afirma a ministra do Desenvolvimento, considerando que Lula tem créditos para ser candidato a secretário geral da ONU.

 “O que ele nos diz é que é Presidente do Brasil até 31 de Dezembro à meia noite e até lá vai trabalhar muito para cumprir todas as metas do nosso governo e é isso que tem exigido de todos nós”, disse a ministra brasileira.
 “Ele vai colocar-se à disposição para contribuir onde for necessário, mas não admite nem conjecturas sobre as suas iniciativas a partir de então”, refere a ministra em entrevista à agência Lusa à margem da Cimeira dos Objectivos do Milénio, em Nova Iorque.
 O jornal britânico The Times noticiou em Março que Lula da Silva estaria a avaliar a hipótese de se tornar o próximo secretário-geral das Nações Unidas, quando o primeiro mandato de Ban Ki-moon terminar no final de 2011.
 A ideia teria sido lançada pri-meiramente pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy, durante uma reunião da cúpula do G-20, em Pittsburgh (EUA), em Setembro.

 Marco Aurélio Garcia, assessor da Presidência para Assuntos Internacionais, não descartou a possibilidade, di-zendo ao jornal britânico que Lula tem "enorme interesse em questões internacionais", especialmente no processo de integração da América do Sul, e "uma grande paixão pela África".
 Para Márcia Lopes, Lula “é reconhecido como líder mun-dial”.
 “Desde a primeira hora, quando assumiu o país, a responsabilidade de demarcar uma posição de unidades, de construção de unidade dos países, principalmente dos países em desenvolvimento, quando assume uma posição de defesa da soberania do país, autonomia, uma relação franca e madura com chefes estado, demonstra na prática essa possibilidade de uma posição firme perante os vários temas do mundo”, adianta.
 “Por isso, tem sido uma referência e reconhecido como uma liderança mundial. Pode ser reconhecido como um candidato a esse cargo”, diz Márcia Lopes.

 A ministra brasileira destaca em Lula da Silva a disponibilidade para o diálogo e o “compromisso ético, político, com as transformações de que o mundo precisa”.
 “Ele é muito cuidadoso, mas coloca-se obviamente à disposição. Tem sido procurado por muitos países para participar em debates e assumir po-sições estratégicas”, conclui.