Lucro da Benfica SAD cresce quase 50% para 42 milhões de euros

0
133

  O resultado líquido da Benfica SAD ascendeu a 41,7 milhões de euros no exercício de 2019/20, uma subida homóloga de 48,7%, no melhor ano de rendimentos de sempre, marcado pela venda ‘milionária’ de João Félix, revelaram os ‘encarnados’.

  O lucro obtido é o segundo maior da história da sociedade gestora do futebol profissional do Benfica, apenas superado pelos 44,5 milhões de euros registados em 2016/17, naquele que é o sétimo ano consecutivo com resultados positivos.

  Quanto ao resultado operacional, houve uma melhoria de 65,5%, para 54 milhões de euros, segundo os números disponibilizados na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

  As receitas da Benfica SAD ascenderam a 294,4 milhões de euros, um novo máximo, correspondente a um aumento de 20,5% face ao exercício anterior.

  “É uma caminhada de afirmação crescente que culminou em 2019/20 num resultado líquido positivo superior a 40 milhões de euros, o que, num contexto fortemente condicionado pela pande-mia, traduz bem o trabalho realizado fora das quatro linhas”, salientou o presidente Luís Filipe Vieira, na mensagem que acompanha o Relatório e Contas.

  O presidente acrescentou que “é o sétimo exercício consecutivo da Benfica SAD com lucro, o que não pode deixar de ser enaltecido” e que “naturalmente este resultado não teria sido alcançado sem a transferência do atleta João Félix”.

  Nas contas apresentadas, além da venda de João Félix ao Atlético Madrid por 120 milhões de euros no verão passado, também entram as transferências de Raúl Tomás, André Carrillo, Sálvio e Lisandro López.

  O ativo atingiu 487,1 milhões de euros no final do exercício, um aumento de 0,7% face ao final do exercício anterior, tendo-se verificado um crescimento constante do valor do ativo nos últimos cinco exercícios.

  Por seu turno, o passivo baixou 10,6% para 325,8 milhões de euros durante o exercício de 2019/20, com as ‘águias’ a realçarem que se trata do “recuo mais acentuado dos últimos exercícios, permitindo reforçar a tendência de diminuição progressiva que o passivo vinha a apresentar”.

  O capital próprio ascendeu a 161,1 milhões de euros a 30 de Junho de 2020, o que representa o valor mais elevado de sempre alcançado pela SAD da Luz.

* Impacto negativo de 12 milhões de euros por causa de covid-19

  O director-executivo da SAD do Benfica, Domingos Soares Oliveira, disse que as contas tiveram um impacto negativo superior a 12 milhões de euros devido à pandemia de covid-19, que parou a I Liga de futebol durante três meses.

  Em entrevista à BTV, o CEO da SAD ‘encarnada’ referiu que a pademia teve “dois impactos”, um desportivo, que não é possível de medir, porque não se sabe como a equipa de futebol, que terminou o campeonato na segunda posição, teria concluído a prova sem interrupção e com público nas bancadas.

  “Relativamente à componente muito mais económico-financeira, temos basicamente impacto em todas as vertentes – menos bilhética, como eu disse, porque não fizemos jogos com bilhética. Apontamos, nestas contas, para que o impacto total da covid-19 no exercício 2019/20 seja ligeiramente superior a 12 milhões de euros. Sem covid-19, teríamos tido receitas provavelmente – só da SAD – a ultrapassar os 300 milhões de euros”, afirmou.