“Lobos” vencem Holanda e somam a segunda vitória seguida *Portugal assumiu comando do Rugby Europe Trophy

0
103

 A selecção portuguesa de rugby venceu no sábado 10 de Fevereiro, no estádio do Jamor, em Oeiras, a selecção da Holanda, por 36-12, no jogo da segunda jornada do Rugby Europe Trophy, em que teve que saber sofrer após o intervalo, mas mostrou-se consistente nos momentos cruciais.

 Depois do triunfo convincente no primeiro jogo da competição diante da República Checa (45-12), os “Lobos” entraram aguerridos no Estádio no Jamor, instalando-se no meio campo holandês e mostrando que queriam manter a vantagem no confronto directo até este encontro, registando nove vitórias, três empates e apenas uma derrota. Portugal tem um total de nove pontos, os mesmos que a Holanda, mas tem 81 pontos marcados e a Holanda 101. A crucial diferença pontual, vem nos pontos sofridos, a Holanda com 70 e Portugal com apenas 24. Está por isso, o XV de Portugal no topo da tabela do Rugby Europe Trophy.

 António Pinto foi inteligente ao apanhar a defesa visitante desprevenida, escapando-se com rapidez pela linha para fazer o seu segundo ensaio internacional e colocar Portu-gal na frente do desafio.

 A Holanda não se deixou abalar pela fraca prestação até então, respondendo com agressividade e obrigando os “Lobos” a recuarem no terreno, mas sem chegaram à zona de finalização para inverter a desvantagem.

 Contudo, era a Selecção portuguesa que jogava melhor e tinha bem estudada a estratégia e os pontos fracos do adversário, concretizando mais dois ensaios, novamente por António Monteiro e outro por Salvador Vassalo, enquanto Louis Rodrigues se apresentava eficaz nas respectivas conversões e penalidades.

 A Holanda regressou dos balneários com um resultado nada abonatório (24-0 ao intervalo), pressionando Portugal ao subir as suas linhas e alcançando o seu primeiro ensaio no encontro, através de Sep Visser, que fez o seu quatro neste Europe Trophy.

 Se nos primeiros 40 minutos foram os “Lobos” a comandar, os holandeses mostravam-se agora mais compactos e coesos a defender, uma vez que a seleção orientada por Martim Aguiar começou a jogar com a boa diferença no marcador, mas deu-se mal, acabando por sofrer mais um ensaio holandês.

 O conjunto orientado por Gareth Gilbert estava a dois ensaios e uma conversão de igualar a partida, porém foram os “Lobos” com uma jogada individual de Louis Rodrigues a desequilibrar por completo a defesa adversária e a oferecer o ensaio a Nuno Guedes.

 Portugal jogou com a vantagem ainda mais confortável e soube gerir bem o resultado, com Francisco Vieira ainda a ter tempo para fazer o último ensaio português.

 Portugal – Holanda, 36-12.

 Ao intervalo: 24-0.

 Assistência: Cerca de 400 espectadores.

Sob arbitragem do francês Sebastian Minery, as equi-pas alinharam:

 Portugal: Hugo Valente, Nuno Mascarenhas, Bruno Medeiros, Geordie Mcsullea, Gonçalo Uva, Salvador Vassalo, Sebastião Villax, Vasco Mendes, Manuel Queirós, Louis Rodrigues, António Monteiro, António Vidinha, Tomás Appleton, Nuno Guedes e Manuel Pinto.

 Jogaram ainda: Francisco Bruno, João Vasco Corte-Real, Francisco Vieira, Francisco Sousa, Jorge Abecasis e Gonçalo Domingues.

 Ensaios: António Monteiro (08 e 26), Salvador Vassalo (36), Nuno Guedes (60) e Francisco Vieira (79).

 Conversões: Louis Rodrigues (09, 27, 37) e Nuno Guedes (80).

 Penalidades: Louis Rodrigues (34).

 Treinador: Martim Aguiar.

 Holanda: Hugo Langelaan, Mark Darlington, Andrew Darlington, Marl Wokke, Chesney Crosby, Vincent Wright, Dirk Danen, Kevin Krieger, Jake Ashby, David Weersma, Sep Visser, Storm Carrol, Josh Gascoigne, Siem Noorman e Liam McBride.

Jogaram ainda: Ross Bennie-Coulson, Arno Macken e Kieran Hogg.

 Ensaios: Sep Visser (42) e Storm Carroll (54).

 Conversões: David Weersma (55),

 Penalidades: 0

 Treinador: Gareth Gilbert.