Liga dos Campeões: Golo solitário de Moutinho dá a vitória ao FC Porto no Dragão

0
62
Liga dos Campeões: Golo solitário de Moutinho dá a vitória ao FC Porto no Dragão

Um golo solitário de João Moutinho, a coroar mais uma excelente exibição pessoal, colocou o FC Porto em vantagem face ao Málaga, em jogo da primeira mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões de futebol.

 A partida, disputada no Estádio do Dragão, só teve um sentido: o ataque da equipa da casa, que praticamente não deixou que a turma espanhola conseguisse desenvolver qualquer ataque organizado.

 Porém, o intenso caudal ofensivo dos portistas não se materializou com a expressão necessária para uma viagem mais descansada ao sul de Espanha, marcada para 13 de Março, onde os malaguenhos ainda têm uma palavra a di-zer, apesar desta ser a sua primeira derrota na estreia da prova “milionária”.

 Vítor Pereira optou por Varela e Izmailov (estreou-se, esta época, na "Champions") como "assessores" mais directos de Jackson Martinez no ataque, deixando no banco James Rodriguez, recentemente recuperado de uma lesão muscular, que o afastou dos relvados durante mais de um mês.

 Quanto ao "onze" do Málaga, Manuel Pellegrini optou pelo paraguaio Roque Santa Cruz na linha ofensiva, em detrimento do argentino Javier Saviola, que marcou o golo da última vitória no campeonato espanhol, no sábado, frente ao Athletic.

 O português Antunes foi de novo titular, ao passo que Duda ficou no banco e Eliseu nem se equipou (lesionado), apesar de ter integrado a comitiva que se deslocou ao Porto.

 E a história da primeira parte resume-se à posse intensa e frequente da equipa da casa, mas a capacidade de "fogo" dos "dragões" não correspondeu à dinâmica e ao trabalho colocado em campo, no que houve, também, mérito da cerrada defesa dos espanhóis.

 Destaque para duas tentativas de Izmailov, aos quatro e aos 45 minutos, quando tentou visar a baliza de Willy Caballero, no que foi sucedido por Fernando, que cabeceou a rasar a barra (15 minutos), após canto marcado por Moutinho.

 Silvestre Varela também podia ter feito melhor (19) quando, servido por Lucho González para o coração da área, preferiu aproximar-se da baliza quando se recomendava um remate de pronto, o que permitiu a Antunes cortar a jogada, num lance em que os portistas reclamaram grande penalidade.

 E, ao intervalo, os números (estatística da UEFA) não deixavam dúvidas: 64 por cento de posse de bola para o FC Porto, que rematou nove vezes contra apenas uma do Málaga.

 A mesma cadência manteve-se após o reatamento e, após um falhanço de Izmailov (re-matou em desequilíbrio), João Moutinho encarregou-se de dar expressão no marcador ao domínio portista.

 Tudo começa numa investida de Alex Sandro na esquerda, que cruzou tenso e junto à relva, e Moutinho apareceu como um foguete a rematar de pronto, embora a sua posição, no momento do passe do brasileiro, tenha levantado algumas dúvidas.

 Vítor Pereira, que já tinha James Rodriguez a aquecer, não hesitou e "meteu" o co-lombiano, rendendo Varela, o que "emprestou" ainda maior vivacidade ao ataque.

 Pellegrini também "apostou", mas nas cautelas: tirou o "veterano" Joaquín (63), reforçando o meio-campo com Portillo, ao que o técnico portista "respondeu" com a velocidade de Atsu, por troca com o russo Izmailov (70).

 Os "dragões" mantiveram o domínio da partida, a tentar aumentar a liderança e cons-truir uma vantagem para encarar o encontro da segunda mão. Mas um último fôlego dos espanhóis foi suficiente para selar o desfecho com um golo de desvantagem para a segunda mão, a 13 de Março, em Málaga.