Liga dos Campeões: FC Porto com o teste mais complicado, após dois ‘tropeções’

0
98

O FC Porto cumpre na primeira jornada do Grupo C o seu mais complicado encontro na fase de grupos da Liga dos Campeões em futebol, ao visitar os ‘gigantes’ ingleses do Manchester City, após dois ‘tropeções’ internos.

A formação comandada por Sérgio Conceição perdeu por 2-3 na recepção ao Marítimo antes da paragem das selecções e, no regresso, após perder Alex Telles e Danilo e adicionar Felipe Anderson, Grujic, Toni Martínez, Sarr e Nanu, empatou com o Sporting.

Em Alvalade, no sábado, os campeões nacionais conseguiram virar de 0-1 para 2-1 ainda antes do intervalo, com tentos de Uribe e Corona, mas, na segunda metade, confiaram em demasia que o jogo estava controlado e, aos 87 minutos, sofreram o 2-2.

Face aos ‘leões’, o técnico portista não apresentou de início qualquer dos novos recrutas – Zaidu, que substituiu no ‘onze’ Alex Telles, já se tinha estreado -, mas, na segunda parte, lançou Felipe Anderson, Toni Martínez e Nanu.

Os dois pontos perdidos acabaram, porém, por estragar a primeira noite dos três jogadores e não dão também grande moral para o que aí vem, uma difícil deslocação ao Etihad, onde mora um conjunto que anda muito longe do que pode vir a valer.

Com os portugueses João Cancelo, Rúben Dias e Bernardo Silva de início, o conjunto de Pep Guardiola venceu, também no sábado, por 1-0 na receção ao Arsenal, graças a um golo de Raheem Sterling, aos 23 minutos, mas voltou a não convencer.

No final, Guardiola reconheceu que os ‘citizens’ estão “muito longe do seu melhor nível’, num jogo em que recuperaram o avançado argentino Sergio Agüero, mas não tiveram o seu melhor jogador, o médio belga Kevin De Bruyne.

Ainda assim, e mesmo sem público nas bancadas, o FC Porto sabe que enfrenta o mais complicado teste no Grupo C, no qual não é favorito a vencer o agrupamento, mas é forte candidato ao segundo lugar, que também vale um lugar nos oitavos de final.

O embate está marcado para as 21:00 de quarta-feira, tal como a recepção dos gregos do Olympiacos, de Pedro Martins, aos franceses do Marselha, de André Villas-Boas, num ‘duelo’ que pode começar a definir quem é o principal adversário dos campeões nacionais em título na corrida ao apuramento.

A actuar em casa, os helénicos, que contam com os portugueses José Sá, Rúben Semedo, Rúben Vinagre, Pêpê e Bruma, apresentam alguma dose de favoritismo, que o técnico que ajudou o Chelsea a ser campeão europeu em 2011/12 tentará contrariar.

Nos outros embates do dia, as atenções centram-se em Munique, onde os alemães do Bayern Munique iniciam a defesa do título com a recepção ao ‘outsider’ Atlético de Madrid, de João Félix. Ainda no Grupo A, o Salzburgo recebe o Lokomotiv Moscovo, de Éder.

 

No Grupo B, o Shakhtar Donetsk, de Luís Castro, joga no reduto do Real Madrid e o Inter de Milão recebe o Borussia Mönchengladbach e, no D, o Liverpool visita o Ajax e a Atalanta os dinamarqueses do Midtylland.

A fase de grupos da edição 2020/21 começa, porém, na terça-feira, e com o jogo de grande cartaz, a contar para o Grupo H: na capital francesa, o Paris Saint-Germain, de Danilo, é anfitrião do Manchester United, de Bruno Fernandes.

Ainda no mesmo agrupamento, o Leipzig recebe o Basaksehir, num jogo que terá de ganhar se quiser vir a desafiar PSG e United.

No Grupo G, a Juventus viaja ao reduto do Dínamo de Kiev desfalcada do português Cristiano Ronaldo, o melhor marcador da ‘Champions’ (130 golos), infectado com covid-19, enquanto o FC Barcelona, em princípio com Lionel Messi, recebe o Ferencvaros.

Os agrupamentos E e F incluem ambos jogos entre os dois principais favoritos a chegar aos ‘oitavos’, com o Chelsea a receber o Sevilha, o ‘especialista’ da Liga Europa, e a Lazio o Borussia Dortmund, respetivamente. Por seu lado, o Rennes ‘mede forças’ com o Krasnodar e o Zenit com o Club Brugge.