Liga da Mulher Portuguesa convive em Pretória com idosos na Igreja de Santa Maria

0
115
Liga da Mulher Portuguesa convive em Pretória com idosos na Igreja de Santa Maria

Organizado pela Liga da Mulher Portuguesa na África do Sul, e a Universidade Sénior “Boa Esperança”, no intuito de proporcionar um alegre dia de carnaval aos idosos internados no Centro-Dia S. Francisco de Assis, teve lugar na passada terça-feira, 4 de Março, no salão da igreja de Santa Maria dos Portugueses, em Pretória West, um convívio com todos esses velhinhos e outras pessoas que se quiseram associar a essa confraternização, além das senhoras ligadas a essa instituição feminina, incluindo a sua presidente, comendadora Manuela Rosa, a embaixatriz Joana Miranda, os sacerdotes em funções nessa igreja católica, Frei Gilberto Teixeira e Frei Manuel Nhaquila, e a presidente de “Os Lusíadas”, Paula de Castro.

 A iniciar o almoço, com a prece de bênção da refeição pelo Frei comendador Gilberto Teixeira, usou da palavra a presidente da Liga promotora do convívio, comendadora Manuela Rosa, para os agradecimentos a todas as presenças ali nessa tarde, com destaque para os idosos a quem esse encontro era dedicado, à embaixatriz Joana Miranda que considerou grande apoiante das actividades organizadas por esta Liga da Mulher Portuguesa, e às membros da organização, a colaboração que sempre dão em todos os eventos que se vão promovendo, tal como neste, as iguarias que habitualmente primam por oferecer em cada planeada função, a todos desejando uma tarde bem passada, neste dia em que o carnaval era festejado por todo o mundo.

 E foi neste âmbito, com muita alegria, que o carnaval ali foi vivido por todos nessa tarde, com as membros da Liga organizadora, a usarem os seus trajes ou máscaras próprias da folia carnavalesca, disfarce que estenderam aos próprios idosos que ali conviviam, e por assim dizer a todos os outros presentes, cada qual ostentando um ornamento a lembrar o “entrudo” entusiasmo esse aumentado com a chegada ao salão do grupo de mascarados a rigor, em todas as suas movimentações a fazer rir à gargalhada e a criar a boa disposição, finalidade com que certamente foi organizado este convívio.

 Poder-se-á atribuir em parte a organização deste convívio, até porque se enquadra perfeitamente no seu ideal, ao “Projecto Mais Vida”, lançado em Pretoria a 18 de Maio do ano transacto, pela embaixatriz Joana Pizarro Miranda, em colaboração com a L:iga da Mulher Portuguesa na África do Sul, na residência oficial da embaixada de Portugal, em Pretoria.

 O projecto que na sua essência visa dar apoio aos lares portugueses de terceira idade, promovendo várias actividades e diferentes serviços aos idosos neles internados, por uma bolsa de voluntários, com a aderência de vários elementos da Liga da Mulher Portuguesa, assim como de professores ligados à coordenação de ensino, e alguns jovens luso descendentes, e como ali ficou claramente demostrado, poder contar com a ajuda da comunidade, projecto que num espírito de solidariedade e voluntarismo se pode considerar merecedor de todo o apoio, já que se destina a contribuir para um mundo melhor, pelo menos tentar aliviar o sofrimento, ou atenuar a solidão dos idosos na sua terceira idade.

 A esse propósito a dra. Joana Miranda referiu ser a terceira idade uma etapa da vida difícil, e muitas vezes extremamente solitária, em quer as pessoas sentem em si todas as limitações físicas e intelectuais, que as tornam dependentes dos outros, e sentem também o vazio dos seus dias, a falta de expectativas, e a certeza de já não serem úteis nem precisas.

 As famílias, sublinhou a embaixatriz nessa ocasião, já não conseguem manter os idosos no seu ambiente efectivo e familiar, e esforçam-se, apesar das contingências das suas vidas, por lhes dar o melhor apoio. Por outro lado, os lares de acolhimento preocupam-se dia após dia, em prestar os melhores cuidados aos idosos que acolhem, de forma louvável, e tantas vezes por nós esquecidos.

 Se realmente acreditarmos que a essência e a dignidade do que somos não se altera ao longo da vida, acreditamos também que a fragilidade física e intelectual não nos diminui nem nos retira o valor. O valor da pessoa humana é o mesmo em todos nós, e está muito para além das diferenças que nos separam, daí o projecto “Mais Vida”, ali lançado nesse dia, nos trazer uma resposta e um desafio.

 Desafio concreto e difícil, mas possível, e fa-lo-emos não só em nome da generosidade, mas sobretudo em nome do reconhecimento pelo valor dessas vidas dos nossos compatriotas, e reforçarmos importantes laços humanos, darmos ânimo, força, ternura e presença certa, acreditando numa experiência solidária, que até a nós trará mais vida.

 A presença que levaremos como gerações mais novas, salientou Joana Miranda nes-sa sua intervenção do lançamento do projecto “Mais Vida”, não será como uma atitude de auto-suficiência, mas com a atitude de quem tem ainda a aprender com uma outra geração mais experiente, mais sábia, e tantas vezes mais humanizada, pedindo nesse sentido a colaboração de todos e de cada um dos que a ouviam, para que o projecto tivesse pernas para andar, e o objectivo nas suas principais linhas de orientação seja a todos os títulos atingido.