Lar Rainha Santa Isabel fez “mini Magusto” que angariou mais de 300 mil randes

0
128

Decorreu no Núcleo de Arte e Cultura (NAC) no Domingo 29 de Novembro, um almoço-convívio denominado “mini Magusto” para angariação de fundos para o Lar Rainha Santa Isabel. Naquela tarde de domingo, o Lar conseguiu angariar mais de 300 mil randes com os donativos, a compra das mesas, a receita das bebidas vendidas no bar e a receita dos leilões, entre outras receitas.

  O número final será divulgado pela Direcção do Lar, após contas feitas a despesas e a receitas totais.

  A tarde foi aberta com uma oração de Teneal Lopes e depois seguiram-se as intervenções do presidente do NAC, Joaquim Coimbra que deu as boas-vindas a todos os presentes. “Muito boa tarde a todos, ao nosso embaixador Manuel de Carvalho e a todos os nossos convidados bem-vindos ao Núcleo de Arte e Cultura. A nossa colaboração com o Lar Santa Isabel e a Sociedade Portuguesa de Beneficência, em angariar os tão necessários fundos para manutenção do nosso querido Lar. Espero que tudo corra do vosso agrado, comida e música e que estejamos todos aqui em família, em bom convívio com amigos e que desfrutem todos desta tarde à portuguesa.”

  Henrique Pereira, presidente cessante do executivo do Lar Santa Isabel, interveio de seguida.

  “Tenho alguns agradecimentos a fazer a várias pessoas que deram uma enorme contribuição para este evento. Ao senhor embaixador, obrigado por estar presente. Comendador Canha, comendador Gilberto Martins e comendador José Valentim obrigado por estarem presentes. Quero agradecer ao dr. Ahmed Bham por vir participar no nosso almoço e nos dirigir algumas palavras sobre a pandemia Covid-19. A razão pela qual organizámos este almoço, é que o ano passado como anualmente, tivemos o Magusto. Mas com a pandemia, não houve possibilidade e por isso, organizámos este almoço. Pelo que vejo, foi muito apoiado e agradeço todo esse apoio e ajuda prestadas.”

  Agradeceu aos patrocinadores e anunciou que seria publicado um agradecimento público colocado na imprensa da Comunidade. Henrique Pereira agradeceu a todos os clubes que contribuíram para o evento ao emprestarem material para que o almoço se realizasse, agradeceu aos patrocinadores e a quem ajudou à realização do evento.

  De seguida discursou Ahmed Bham discursou.

  “Boa tarde caros colegas e amigos, é uma hon-ra e um prazer poder estar aqui hoje. Eu tenho dois chapéus… sou membro do “Board of Trustees” da organização solidária “Gift of the Givers” e estamos a colaborar com a Sociedade Portuguesa de Beneficência, ao longo dos últimos dois anos e temos dado muita assistência. Visitei o Lar várias vezes com Dominic Pais e queremos continuadamente dar apoio ao Lar. É uma excelente iniciativa que a SPB está a fazer e juntos podemos fazer muito mais. Acho importante ajudarmo-nos uns aos outros para o benefício da Humanidade. Gift of the Givers Foundation é a maior Organização Não-Governamental de África e já doámos quatro biliões de randes em ajuda humanitária no Mundo inteiro, incluindo Portugal durante as cheias há uns anos. Eu fui até à Madeira, Portugal e levámos cerca de três milhões de randes em ajuda. Temos dado muita assistência onde podemos dar e em vários aspectos. Em desenvolvido sustentável, ajudamos a construir infraesturas não só para prestar ajuda humanitárias, mas para deixar um legado em cada país onde estamos.”

  Ahmed Bham prosseguiu ao falar da pandemia de Covid-19, “sou do Departamento Nacional de Saúde e pediram-me para falar sobre a pandemia. Estamos a ter uma ressurgência e como po-dem ver, em todo o Mundo, tem sido difícil conter o covid. Há desenvolvimento de vacinas, há muitos mitos e teorias mas a realidade é que covid-19 é uma pandemia e está a matar pessoas e temos que nos focar em como erradicar a doença. Actualmente sei que como Departamento de Saúde colocámos em uso medidas de prevenção e tudo o que podemos fazer para prevenir o contágio”.

  Luísa Martins também interveio, ao informar que foi feito um peditório a várias instituições, empresas e indivíduos e foi angariado um valor superior a 267 mil randes. Informou os presentes do lançamento das ordens de débito para ajudar o Lar Santa Isabel.

  Por fim, a fechar os discursos públicos, falou o embaixador de Portugal na África do Sul, Manuel de Carvalho. “Boa tarde a todos. É sempre um prazer estar aqui, é a segunda vez no espaço de uma semana que estou neste salão, mas é maravilhoso vê-lo tão vivo, tão animado, tão cheio de motivação. E motivação para uma causa muito boa, que é apoiar o Lar de Santa Isabel. O Lar é um dos pilares da Comunidade e a todos juntos aqui, estão a apoiar a Comunidade e a mantê-la forte durante estes tempos tão estranhos e difíceis”. “Não entrarei nesses desafios hoje, mas o Covid ainda não acabou e em Portugal tivemos que voltar a meio “lockdown” e não queremos que isso aconteça na África do Sul. Mas para que isso não aconteça, vai depender do comportamento de todos os presentes aqui, por favor mantenham-se seguros, mantenham o distanciamento social e todos os protocolos. Temos um enorme desafio diante de nós para manter o Lar a funcionar em pleno, a Embaixada e o Consulado-Geral estão aqui para apoiar esses esforços e esta não será certamente a última vez que iremos falar sobre o Lar, porque será a nossa causa conjunta por muito tempo. Para todos aqueles que contribuíram e levaram a cabo este magnifico evento, para todos os contribuíram, um grande muito, muito obrigado”, concluiu o diplomata.

  O almoço foi servido, organizado pelo restaurante “Rodizio”, foi um rodízio de carnes que foi do enorme agrado de todos os presentes. Logo a seguir à refeição Johnny Caetano leiloou vários objectos, entre os quais uma camisola do Real Madrid assinada pelo plantel do clube madrileno que incluía um autografo de Cristiano Ronaldo. Camisola essa que rendeu ao Lar 200 mil randes.

  Foi depois a vez do entretenimento com a ban-da de artistas portugueses da Comunidade, Portugal The Band. Um momento alto da tarde, com várias pessoas a levantarem-se e a dançarem diante do palco.

  Foi feita uma sentida despedida a Roberto Adão, que irá emigrar para Inglaterra no início do próximo ano. A banda dedicou-lhe um boné autografado pelos músicos e foram leiloados mais quatro bonés para angariação de fundos para o Lar.

  O programa foi encerrado cerca das 17h30 com Portugal The Band a fazer o “encore” em palco e com várias pessoas a dançarem diante do palco e em convívio.