Jovens portugueses criam bólides em miniatura

0
56
Jovens portugueses criam bólides em miniatura

Os “bólides” pesam pouco mais de 50 gramas e cumprem 25 metros num segundo, sendo “ao volante” deles que 22 equipas de estudantes de todo o Portugal disputam um lugar no “campeonato do mundo” de Fórmula 1 em miniatura.

 Além de “pilotos”, os alunos assumem-se também como mentores e construtores das suas próprias “máquinas”.

 Trata-se do projecto “F1 in Schools”, cuja final nacional decorre em Vila Nova de Famalicão.

 Os vencedores carimbam o passaporte para a final mundial, marcada para Singapura, entre 13 e 16 de Setembro, coincidindo com a data da realização do Grande Prémio de Fórmula 1 naquele país.

 Rui, Alexandre, Pedro e Paulo são alunos da Escola Secundária Padre Benjamim Salgado, de Joane, Famalicão, e constituem a equipa “Inv1ctus F1 Team”, uma das que se prepara para disputar a final nacional, de olhos postos em Singapura.

 “É para isso que lutamos, que trabalhamos todos os dias. Estamos confiantes, pois”, refere Rui.

 Como sublinham, a equipa vencedora ganha uma bolsa de estudo em Engenharia Automóvel na Universidade de Londres, “com hipóteses de, depois, entrar no mundo da F1”.

 Cada equipa tem de criar o seu carro no computador, em 3D, e depois construí-lo, devendo o bólide ter um peso mínimo de 55 gramas.

 Impulsionados com botijas de ar comprimido, os carros têm, na competição, de percorrer uma pista de 25 metros de comprimento no mais curto espaço de tempo possível, o que, para os melhores, significa cerca de um segundo.

 A velocidade que os carros atingem é um factor com um peso importante na decisão do júri, mas não é o único, já que também são avaliados aspectos como o portfólio, o design, o stand a engenharia, o marketing e a apresentação do produto ao júri internacional, necessariamente em inglês.