José Cesário diz que relações com Angola não podem ser um problema

0
37
José Cesário diz que relações com Angola não podem ser um problema

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário, defendeu que as relações com Angola “não podem ser um problema”, referindo-se à tensão que marcou nas últimas duas semanas as relações bilaterais.

 A tensão deveu-se à publicação no jornal português Expresso de uma notícia sobre a investigação de que o Procurador-Geral da República angolano é alvo por parte do Mi-nistério Público português.

 José Cesário, que esteve a semana passada em Luanda para uma visita de trabalho de 48 horas, defendeu que a questão tem de ser ultrapassada.

 “Tem de ser. Isto não pode ser um assunto. Nós temos de ter com Angola as melhores relações possíveis. Os dirigentes angolanos são pessoas que nos merecem toda a consideração, a mesma consideração que nós exigimos aos outros dirigentes de

outros países tenham connosco”, disse.

 Em causa estão os efeitos da notícia publicada pelo sema-nário Expresso na edição de 23 de Fevereiro, em que se referia que João Maria de Sousa estava a ser investigado pelo Ministério Público de Portugal, por alegada “suspeita de fraude e branqueamento de capitais”.

 Na sequência da notícia, o estatal Jornal de Angola, em duas ocasiões, nos dias 25 e 27 de Fevereiro, criticou duramente a fuga de informação e as relações bilaterais.

 Concretamente, no editorial publicado a 27 de Fevereiro, o Jornal de Angola defendeu o fim dos investimentos angolanos em Portugal, considerando que ao contrário de outros, o investidor angolano não é bem-vindo.

 A reacção de João Maria de Sousa foi tornada pública num comunicado enviado dia 25 de Fevereiro à agência Lusa em Luanda, classificando como “despudorada” e “desa-vergonhada” a forma como o segredo de justiça foi “sistematicamente violado” em Portu-gal em casos relativos a “honrados” cidadãos angolanos.

 “Isso não pode ser um proble-ma. As orientações do Gover-no (português) vão no sentido de mantermos a melhor relação possível com as autoridades e com o povo angolano no seu todo”, acrescentou.

 José Cesário, que regressou na quarta-feira a Lisboa, visitou as instalações do Consu-lado Geral de Portugal em Luanda, o Centro Cultural Português e reuniu-se com elementos da comunidade portuguesa residente em Luanda.

 O governante português anunciou o reforço do quadro de pessoal e de equipamentos para o Consulado Geral de Luanda, tendo em vista a diminuição dos prazos de concessão de vistos de entrada em Portugal e de permanências consulares.

 “Sem por em causa o rigor que temos de ter, tendo em consideração que um visto para Portugal não é só um visto para Portugal: é um visto para o espaço Schengen”, salientou.