Jantar de gala do Dia de Portugal na Casa da Madeira em Joanesburgo

0
44
Jantar de gala do Dia de Portugal na Casa da Madeira em Joanesburgo

Teve lugar no sábado, 10 de Junho, o jantar de gala de celebração do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Foi na Casa da Madeira de Joanesburgo que os vários convidados se juntaram para celebrar o dia nacional de Portugal. Estiveram cerca de duzentas pessoas para assinalar a data e celebrar em conjunto a data em que em 1580, faleceu Luís Vaz de Camões.

 Os convidados foram recebidos com cálices de “Old Brown Cherry” enquanto se sentavam nos seus lugares. A festa começou com o entoar dos hinos da África do Sul e de Portugal por parte de Damião de Freitas.

 O cônsul-geral de Portugal, Francisco-Xavier de Meireles, procedeu novamente ao acender da chama da pátria. O mestre-de-cerimónias José Luís da Silva, agradeceu a presença de todos, agradeceu aos patrocinadores do serão e o trabalho levado a cabo pela presidente da Casa da Madeira de Joanesburgo, Guida de Freitas.

 Foi também feito um minuto de silêncio em memória dos vários soldados que perderam a vida na I Guerra Mundial, muitos sul-africanos e muitos portugueses.

 Foi pedido ao Padre Sérgio Durigon que fizesse uma oração de acção de graças e que abençoasse a refeição que todos iam tomar.

 “É muito bom estar aqui nesta noite, a celebrar a portugalidade, o amor, o carinho e a alegria de Deus, que nos reúne aqui, em festa, em comu-nhão. Por isso, pedimos a Deus, que abençoe os alimentos que vamos tomar, que abençoe as mãos de quem preparou a refeição e que Ele nos guie e guarde na hora de ir para casa. Também queremos pedir ao Senhor, que nos abençoe e nos alimente de Espírito, para melhor fazermos a sua vontade”. Foi rezado um Pai Nosso em seguida e, o primeiro prato, a sopa de caldo-verde foi servida.

 Enquanto este primeiro prato era servido, Damião de Freitas entreteve os presentes com as suas interpretações musicais de temas clássicos da muúsica jazz, pop, rock, entre outros géneros. De notar, que a sopa de caldo-verde não chegou a todas as mesas, pois tinha acabado nas terrinas.

 Findo e levantado o primeiro prato, seguiu-se a actuação da Nadine School of Dance Southern Suburbs, ao som de música portuguesa, um número que mereceu fortes vivas e aplausos por parte de todos os presentes.

 José Luís da Silva, para dar celeridade ao programa, que deveria ter começado pelas 19h, mas que só começou perto das 20h, pediu ao comendador Gilberto Martins, presidente do Conselho das Comunidades Portuguesas, para dirigir umas palavras aos presentes.

 Na sua intervenção, o comendador Martins afirmou que “desde o primeiro dia que os portugueses passaram pela África do Sul, as famílias que chegaram cá, ajudaram a criar o que a África do Sul é hoje. As famílias, que continuam a crescer e desenvolver o país, mais importante que tudo, que são o futuro do nosso país.”

 “Essas mesmas famílias, nunca deixaram o futuro dos filhos por mãos alheias e fizeram tudo para que tivessem o que os pais, avós não tiveram.” O comendador Gilberto Martins acrescentou que os filhos e netos, nunca deveriam sentir vergonha de serem portugueses, das suas raízes culturais e muito menos, do passado e da história da sua família, pois segundo o comendador, foi graças ao trabalho e sacrifício dos que tinham menos, sabiam me-nos, puderam assegurar melhores condições de vida às novas gerações de portugueses que nasceram na África do Sul.

 “Hoje, celebramos o nosso dia, o Dia de Portugal, que através das várias empresas, indivíduos, clubes, associações, instituições várias, fazem diariamente, dão todos os dias, um contributo único e rico a este nosso país, sem nunca esquecer Portugal. A nossa herança, a herança dos nossos filhos, é esse legado, o trabalho feito por outros antes de nós, para nós, para o futuro.

 Se existisse um museu da Comunidade portuguesa, o que contaria era uma história muito rica, como dos clubes de futebol como o Lusitano, dos clubes de basquetebol, hóquei em patins e tantas outras coisas que marcaram a Comunidade. Nós, antes e presentemente, estamos a trabalhar e a deixar um legado, serão as novas gerações que dirão o que será da África do Sul e da Comunidade. A todos, feliz Dia de Portugal”, rematou Gilberto Martins.

 Houve mais um momento de actuação, com as danças e cantares de artistas zulus. Nos discursos oficiais seguiu-se a intervenção do presidente da Federação das Associações Portuguesas na África do Sul, Alexandre Santos. “É com imenso prazer e júbilo que estamos reunidos na Casa da Madeira para celebrar uma vez mais o Dia de Portugal. Um evento celebrado pelos portugueses em todo o Mundo. Uma efeméride, úni-ca e impar, na medida que não consagra apenas o patriotismo dos portugueses, mas neste dia exalta-se o maior legado, a língua portuguesa. E ao celebrarmos este dia, será bom recordar, que ele também reflecte a visão dos portugueses sobre o Mundo.”

 Santos recordou depois as palavras do cônsul-geral, ao aludir a importância da língua portuguesa no Mundo, onde há mais de 100 mil pessoas a aprender Português.

 Alexandre Santos afirmou que é agora um idioma do Mundo e que não é só dos portugueses, que permite contactos e é uma ferramenta de trabalho entre as nações.

“ Queria em primeiro lugar agradecer também ao cônsul-geral de Portugal em Joanes-burgo, que desde a primeira hora apoiou a subcomissão do Dia de Portugal. Senti que vamos ter um cônsul do povo.”

 Alexandre Santos agradeceu às associações ligadas à organização do 10 de Junho e “foi com imensa satisfação que vi o interesse e disponibilidade da Casa da Madeira, para a Guida e para o seu executivo, uma salva de palmas”, o que foi prontamente e ruidosamente feito.

 Agradeceu também à APF Vanderbijlpark, Luso África e à União Portuguesa. Agradeceu também aos patrocinadores e desejou a todos um feliz Dia de Portugal.

 O jantar, buffet, foi servido. Contou com um prato de bacalhau à Gomes de Sá, carne de vaca assada, frango grelhado na brasa, batatas, arroz e salada. Após a refeição, dançou o rancho da Casa Social da Madeira de Pretória.

 E, ainda nos discursos oficiais, foi pedido à presidente da Casa da Madeira que dirigisse algumas palavras. Guida de Freitas, para além de agradecer a presença de todos, afirmou que o seu objectivo é trazer de volta à Casa da Madeira a juventude e o espirito jovem para assegurar o futuro daquele clube.

 Guida de Freitas pediu em seguida, para que o jornalista do Século de Joanesburgo, Michael Gillbee subisse ao palco e dirigisse algumas palavras aos presentes. No fundo, qual a sua perspectiva para poder atrair a juventude portuguesa de volta ao seio da Comunidade.

 O jovem, vestido com o seu traje académico de Portugal, aludiu à importância da língua portuguesa e à importância de se falar Português em casa. Apesar de dias chatos, can-sativos, de ser mais fácil falar Inglês, o esforço de falar em casa Português, começa com a família e será assim, uma possível solução para que os jovens se sintam incluídos e percebam os rituais, tradi-ções, costumes e acontecimentos que decorrem e envolvem a Comunidade lusa na África do Sul. Terminou depois com um orfeão académico de boa sorte, para marcar ainda mais a festa do Dia de Portugal.

 José Luís da Silva agradeceu a oferta das bandeiras e das fotografias do presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do quadro de Luis Vaz de Camões, doados pela APF Vanderbijlpark.

 Ao longo do serão, foram entregues várias medalhas de participação aos intervenientes alusivas ao Dia de Portugal.

 O momento alto da noite seguiu-se com a entrega das medalhas de mérito jovem do Dia de Portugal. Foram galardoados, Micaela Monique Nunes que obteve 8 distinções na Matric, a Micaela Cláudia da Costa também com 8 distinções na Matric, a Daniel Flores Chaves que obteve três distinções na sua licenciatura em Ciências de Bioquímica e Fisiologia, nas disciplinas de Bioquímica, Fisiologia Humana e Microbiologia. A Raymond de Freitas um nadador autista, que participou nos Jogos Paralimpicos. Representou a África do Sul na Nova Zelândia em 2013 nos campeonatos mundiais de natação e no Equador na mesma prova onde ganhou medalhas de prata e bronze. Diana-Lee de Sousa Moniz, que na música e arte dramática, ganhou medalhas de ouro e prata no festival Eisteddfod. Jessica Aguiar também recebeu a medalha de mérito pelas 8 distinções na Matric e Dário Gouveia de 9 anos de idade, que na área solidariedade social, angariou 8000 pares de sapatos para sem-abrigos e menos afortunados. Está agora a começar uma campanha de ajuda às vitimas dos incêndios em Knysna. Por último, houve uma Menção Honrosa a Miguel Pedro de Andrade, na área do desporto,  que representou a África do Sul na área B, no campeonato mundial de hóquei em patins.

  Damião de Freitas cantou depois “Simply The Best” de Tina Turner aos galardoados. Por fim, para encerrar as intervenções oficiais, a última intervenção pública coube ao cônsul-geral de Portugal em Joanesburgo. Francisco-Xavier de Meireles afirmou que “há alguns aspectos muito giros hoje, algumas simbologias que merecem ser valorizadas. O Cristiano Ronaldo sucede a Eusébio, como melhor do Mundo, como melhor jogador português. Um, português de Moçambique, o outro português da Madeira. O país, a cultura, o nome de Portugal está hoje espalhado por todo o Mundo e não é apenas pelo futebol, mas por outros tantos aspectos. É bom ser português e há, como fala o secretário de Estado das Comunidades, um orgulho muito próprio e especial de ser português.”

 O diplomata agradeceu a Guida de Freitas por todo o seu trabalho, à Casa da Madeira e à subcomissão do Dia de Portugal. Desejou as maiores felicidades a todos os presentes.

 A noite, terminou com dança e música até de madrugada.