Jacob Zuma e Durão Barroso estiveram reunidos no Kruger Park na 4.ª Cimeira entre África do Sul e UE

0
53
Jacob Zuma e Durão Barroso estiveram reunidos no Kruger Park na 4.ª Cimeira entre África do Sul e UE

Jacob Zuma e Durão Barroso estiveram reunidos no Kruger Park na 4.ª Cimeira entre África do Sul e UEA 4.ª cimeira entre a África do Sul e a União Europeia decorreu na quinta-feira no complexo de Skukuza, no Parque Nacional Kruger, em Mpumalanga, sob a liderança conjunta do presidente Jacob Zuma, da RSA, e dos presidentes da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, e do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy.

 Os principais pontos da agenda da reunião foram a crise líbia, o conflito na fronteira entre o Sudão e o Sudão Sul e as próximas eleições no Zimbabwé, indica o comunicado.
 Por outro lado, as duas partes examinaram outros assuntos de interesse comum no quadro da Parceria Estratégica África do Sul/União Eu-ropeia concluída em 2007.
 A delegação da União Europeia foi chefiada pelos presidentes do Conselho, Herman Van Rompuy, e da Comissão, José Manuel Durão Barroso, e contou ainda com a chefe da diplomacia europeia Catherine Ashton e os comissários para o Comércio, Karel de Gutch, e para o Desenvolvimento, Andries Piebalgs.

 O executivo sul-africano, liderado pelo presidente Jacob Zuma, levou os seus “pesos pesados” a esta cimeira, destacando-se a ministra das Relações Exteriores Maité Nkoana-Mashabane, a ministra da Defesa Lindwe Sisulu, o ministro das Finanças, Pravin Gordan, a ministra da Ciência e Tecnologia, Naledi Pandor, e o ministro do Comércio e Indústria, Rob Davies, entre outros.
 Regista-se que o  comunicado final da cimeira enfatisa na sua introdução que “nós, os líderes da África do Sul e da União Europeia no nosso encontro de hoje no Kruger National Park, na RSA, reafirmamos o nosso compromisso numa parceria estratégica baseada na partilha de valores e interesses, incluindo a promoção da paz e segurança, direitos humanos, democracia,  lei e ordem e desenvolvimento sustentável no seio das nossas regiões”.

* RSA-UE PARCERIA ESTRATÉGICA

 Renovamos – continua o comunicado – a rápida expansão da nossa relação bilateral, manifestada por um reforço da Parceria Estratégica, bem como de vários diálogos de alto nível político, ministerial, parlamentar e entre oficiais superiores. Teremos discussões frutíferas nos âmbitos bilateral, regional e global de interesse e preocupações comuns.

 Nas nossas abordagens de implementação do Plano de Acção Conjunta, enfatisamos em particular:
* A formalização do Diálogo sobre Direitos Humanos entre a UE e a África do Sul.
* A efectiva implementação e a crescente  assistência do programa da UE para a RSA e a excelente relação entre o Banco Europeu de Investimento (BEI) e os parceiros sul-africanos.
* O lançamento do Programa de Cuidados de Saúde, orçamentado em 126 milhões de euros, visando aumentar o tempo de vida, reduzindo a mortalidade materna e infantil e apoiando o combate contra o HIV/Sida e a tuberculose.
* A cooperação com êxito no domínio da ciência, tecnologia e inovação (incluindo as recentes pesquisas em apoio aos seminários para esta cimeira sobre recursos minerais e alterações climáticas) bem como no meio ambiente e desenvolvimento sustentável incluindo o crescimento verde, acções climáticas e biodiversidade.

* O constante progresso na cooperação espacial, também envolvendo a Agência Nacional Espacial Sul-Africana e a Agência Espacial Europeia especialmente a preparação em estado avançado para a RSA do Sistema Geográfico Europeu de Navegação (EG-NOS), uma plataforma significante para o impulso de navegação global dos serviços de sistema satélite na África do Sul.
* Excelente progresso num amplo espectro sobre migração, particularmente nos temas como asilo e assuntos ligados ao tráfico humano.
* A implementação do programa de permutas académicas entre as universidades sul-africanas e europeias – “Erasmus Mundus” – para benefício mútuo de um crescente número de estudantes pós-graduados e académicos.
* Saudamos os progressos nas negociações no acordo EURATOM-SA para o uso pacífico da energia nuclear e olhamos em frente para uma consequente conclusão.

* Reiteramos o nosso empenho em prosseguir políticas que reforcem a coesão eco-nómica e social nas nossas respectivas regiões, com vista a reduzir as disparidades no nível de desenvolvimento entre a RSA e a UE. Todavia encorajamos a trocas das melhores práticas nessa área, de acordo com o workshop sobre a Política Regional que se realizou a 14 de Setembro de 2011 em Pretória.
* Observamos a continuação do crescente comércio bilateral. A UE continuará a ser o parceiro mais importante de negócios e investimento, representando 35% das importações totais da RSA e 28% da sua totalidade de exportações”.

*  POSIÇÃO SOBRE A LÍBIA

 O comunicado final, sobre a situação na Líbia, refere: “Concordamos que a União Africana tem um importante papel a desempenhar no apoio ao povo líbio em estabelecer uma democracia, num país unido e independente. Saudamos as conclusões da reunião de 14 de Setembro de 2011, realizada na África do Sul. Concordamos em encorajar as actuais autoridades líbias a trabalharem no sentido de se formar um governo