Irão, de Carlos Queiroz, qualificado para o Mundial 2014

0
58
Irão, de Carlos Queiroz, qualificado para o Mundial 2014

O Irão, orientado pelo português Carlos Queiroz, qualificou-se para o Campeonato do Mundo de futebol de 2014, ao vencer na Coreia do Sul, por 1-0, em jogo da oitava jornada do Grupo A de qualificação asiática.

Em Ulsan, na Coreia do Sul, Reza Ghoochannejhad marcou, aos 60 minutos, o único golo do encontro, que o Irão necessitava de vencer para garantir a presença no Brasil, uma vez que o Uzbequistão derrotou o Qatar, por 5-1.

Com estes resultados, o Irão venceu o Grupo, totalizando 16 pontos, mais dois do que a Coreia do Sul que, apesar de ter terminado em igualdade pontual com os uzbeques, também se apurou para o Brasil, graças à melhor diferença de golos.

O Irão e a Coreia do Sul juntam-se o Japão e Austrália, os dois primeiros classificados do Grupo B asiático, e ao anfitrião Brasil na fase final do Mundial2014, enquanto o Uzbequistão vai defrontar Omã ou Jordânia, que ainda hoje se defrontam, no numa eliminatória a duas mãos, cujo vencedor jogará depois um “play-off” de apuramento com o quinto classificado da zona sul-americana.

 

* Sul-coreanos acusam Carlos Queiroz de fazer gesto obsceno na vitória do Irão

          

A Coreia do Sul acusou o seleccionador do Irão, o português Carlos Queiroz, de fazer um gesto obsceno ao selecionador sul-coreano, no jogo de hoje que garantiu a qualificação dos iranianos para o Mundial2014 de futebol.

Um dirigente da Associação Coreana de Futebol disse que “Queiroz fez um gesto obsceno a Choi Kang-Hee depois de a sua equipa ganhar por 1-0 em Ulsan”.

Este dirigente admitiu que “alguns jogadores da Coreia do Sul que viram o gesto tiveram que ser impedidos pela equipa técnica de se dirigirem ao banco do Irão” e que “um supervisor da FIFA também viu o incidente e talvez denuncie”.

O português Carlos Queiroz, que já treinou a selecção de Portugal e o Real Madrid, não fez nenhum comentário sobre este acontecimento, depois de um jogo decisivo para as duas equipas, que, apesar da vitória iraniana, garantiram ambas o apuramento para o Brasil.

 “A minha equipa jogou com uma abordagem realista, à espera que a Coreia mostrasse os seus pontos fracos e com uma grande atitude de contra-ataque”, disse o selecionador português após o encontro.