Investimento português de 100 milhões de randes em Pretória transforma projecto industrial em líder

0
44
Investimento português de 100 milhões de randes em Pretória transforma projecto industrial em líder do mercado sul-africano

O Grupo português Frulact, com sede na Maia/ Porto, tem em curso um processo de investimento, em Pretória, na ordem dos 10 milhões de euros (mais de 100 milhões de randes), associado à empresa sul-africana Blendtonel, que transformará a actual operação industrial num projecto que será o n.º 1 do mercado da África do Sul no seu sector – a preparação de frutas para a indústria de lacticínios – em termos de dimensão e capacidade de produção instalada.

O projecto potenciará também as exportações de Portugal para o mercado sul-africano.
  Para assinalar esta iniciativa, o embaixador de Portugal na África do Sul, dr. João Ramos Pinto, ofereceu na passada segunda-feira um jantar na residência da Embaixada em Pretória. Este evento reuniu membros do Grupo Frulact, a Blendtonel, parceiro sul-africano da “joint-venture” com o grupo português, a delegação da África do Sul  da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, a GEDA, Gauteng Economic Development Agency e o Mercantile Bank.

  De salientar que em Novembro de 2010, o Grupo Frulact integrou uma missão empresarial da AICEP-Portugal Global e em Março de 2011 uma delegação daquela empresa da Maia regressou à África do Sul para proceder à escolha de parceiros locais e consolidar a informação sobre o mercado, tendo os escritórios da AICEP em Joanesburgo proporcionado encontros e reuniões, inclusive com o Mercantile Bank (Grupo Caixa Geral de Depósitos).
A partir de Junho de 2011, e sempre com o acompanha-mento e apoio da Embaixada de Portugal e da Delegação da AICEP-Portugal Global, o processo teve significativos progressos, com visitas do Conselho de Administração da Blendtonel a Portugal e com responsáveis do Grupo Frulact a trabalharem, na África do Sul, na conclusão do acordo, que se concretizou em Novembro, na absorção de diversos inputs proporcio-nados por instituições como a GEDA, o Mercantile Bank e o IDC, momento a partir do qual o projecto passou ao investimento no terreno, na preparação desta nova indústria.

 As entidades oficiais portuguesas reconhecem o importante papel do Mercantile Bank e do seu Conselho de Administração, que desde a primeira hora, apoiou o desenvolvimento do projecto, com proximidade, quer através do seu director executivo, dr. Júlio Lopes ( representante na administração do banco sul-africano do Grupo CGD, maioritário no capital social), quer através do seu CEO, Dave Brown, que se deslocou a Portugal para conhecer o projecto do Grupo Frulact. Este apoio culminou com o suporte à operação financeira que cria o projecto de expansão da Frulact para África do Sul, com a “joint-venture” que cria a Frulact South Africa, fruto da aliança com a Blendtonel da África do Sul.

 De referir que o jantar promovido na segunda-feira pelo embaixador de Portugal contou com a participação do dr. João Pedro Pereira, delegado da AICEP-Portugal Global; dr. Carlos Pereira Marques, cônsul-geral de Portugal em Joanesburgo; dr. Rui Fragoso, director de Business Expan-sions and Retentions da GEDA; Pieter Nel, administrador da Blendtonel; eng. João Miranda, presidente do Conselho de Administração do Grupo Frulact; Theuns Nel, presidente do Conselho de Administração da Blendtonel; dr. Nuno Ozório, vice-presidente do Grupo Frulact; dr. Duarte Faria, director executivo da Frulact South Africa; dr. Paulo Leal, administrador do Grupo Frulact; dr. Júlio Lopes, Mercantile Bank Executive director e membro do Conselho de Administração; dra. Gabriela Soares de Albergaria, ministra-conselheira da Embaixada de Portugal.