Investimento estrangeiro em Moçambique ascendeu a 3,3 mil milhões de dólares em três anos

0
170
Investimento estrangeiro

Investimento estrangeiroO investimento directo estrangeiro (IDE) em Moçambique cresceu à média anual de 44 por cento de 2007 a 2009, totalizando cumulativamente 3,3 mil milhões de dólares no final de 2009, disse em Maputo o governador do Banco de Moçambique.

 Na cerimómia de lançamento do Inquérito Coordenado ao Investimento Directo, uma iniciativa destinada a actualizar a informação sobre o investimento directo em Moçambique e perceber o impacto deste na economia do país, Ernesto Gove acrescentou que, sem incluir os grandes projectos, o investimento directo estrangeiro acumulado nos últimos três anos totalizou 1,7 mil milhões de dólares.

 Afirmando que o investimento directo estrangeiro tem um efeito multiplicador no aumento da capacidade produtiva do país, "na criação de emprego, na promoção do progresso tecnológico e na melhoria da posição externa, quer por via de exportações, quer por via da substituição de importações", o governador do banco central defendeu a prossecução de reformas económicas, a fim de melhorar o ambiente de negócios "de modo a sermos competivivos na atracção de investimento."

 O inquérito apresentado vai recolher informação sobre o saldo do investimento directo e informação sobre a dívida externa privada e participações no exterior.
 Moçambique foi seleccionado com mais 130 países para fazer este inquérito, que deverá ter como período de referência 31 de Dezembro de 2009 e é suportado pelo Fundo Monetário Internacional.

 Em colaboração com o Instituto Nacional de Estatística, serão recolhidos dados sobre o investimento directo, os empréstimos recebidos e concedidos, créditos comerciais recebidos e concedidos e títulos estrangeiros na posse de residentes.
 Será realizado até 24 de Junho e abrange uma amostra de empresas financeiras e não-financeiras, com activos e (ou) passivos externos, localizadas em Maputo e nas províncias de Nampula, Sofala e Tete.