Instituto Camões apoia internacionalização de instituições de ensino superior moçambicanas

0
63

 O Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, de Portugal, assinou quatro memorandos de entendimento com universidades moçambicanas, com os objectivos de promover a língua e garantir a “internacionalização das instituições de ensino moçambicanas”.

 “Este memorando vem renovar a cooperação com estas universidades, numa cooperação que vai servir não só Moçambique como a arena internacional”, disse o presidente do Camões, Luís Faro Ramos, que começou de visita de trabalho à capital moçambicana.

 Os memorandos foram assinados com as universidades Rovuma, Licungo, Save e Pedagógica de Maputo, todas resultantes da restruturação da antiga UP, que foi dividida em cinco instituições de ensino superior espalhadas pelo país no início deste ano.

 À luz dos memorandos, o Camões garante recursos e técnicos e humanos para as universidades, que deverão cada uma delas desenhar planos específicos contextualizados às suas necessidades.

 “Isto coloca-nos mais perto daquele objectivo que é de todos países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa: colocar o português como uma língua oficial das Nações Unidas”, acrescentou Luís Faro Ramos, que prometeu também apoiar as universidades no apetrechamento das infraestruturas para acomodar pessoas com deficiências, cujo Dia Internacional foi assinalado na semana passada.

 Por sua vez, o reitor da Universidade Pedagógica de Maputo, Jorge Ferrão, destacou a cooperação de décadas com o Camões, observando que os novos protocolos devem procurar garantir a internacionalização das universidades moçambicanas.

 “Queremos garantir que o modelo das nossas universidades nesta cooperação nos coloque além-fronteiras e que ajude a criar um programa de internacionalização das nossas instituições”, declarou Jorge Ferrão.

 A visita de Luís Faro Ramos a Moçambique durou quatro dias e estava enquadrada nas comemorações alusivas aos 10 anos da Cátedra de Português Língua Segunda e Estrangeira da Universidade Eduardo Mondlane, a mais antiga instituição do ensino superior no país.

 A agenda do presidente do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua contemplou também um encontro com o ministro da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, Jorge Nhambiu, e outro com a ministra da Educação e Desenvolvimento Humano, Conceita Sortane, além de uma visita à Escola Portuguesa e outros locais de cultura em Maputo.