Ineficácia do Estoril-Praia punida com “nulo” na recepção ao Friburgo

0
64
Ineficácia do Estoril-Praia punida com “nulo” na recepção ao Friburgo

O Estoril-Praia foi punido com um empate 0-0 na recepção aos alemães do Friburgo, num encontro da quarta jornada do Grupo H da Liga Europa de futebol, em que dispôs das melhores ocasiões para marcar.

 A formação comandada por Marco Silva desperdiçou diversas oportunidades de golo, sobretudo por Luís Leal, mas também por Sebá, Carlitos e, finalmente, por João Paulo Galvão, e, nem a jogar os últimos minutos contra nove, graças às expulsões de Nicolas Hofler e Karim Guédé, conseguiu concretizar.

 Depois de ter conquistado o primeiro ponto na prova no terreno do adversário, o Estoril-Praia permanece na quarta e última posição da "poule", com menos um ponto do que o Friburgo, enquanto a liderança continua entregue aos espanhóis do Sevilha, que somam oito pontos, após terem empatado 1-1 na recepção aos eslovenos do Liberec, segundos classificados com seis.

 As semelhanças nas disposições tácticas, uma vez que ambos os técnicos apostaram em três avançados, promoveram um equilíbrio de forças, que começou por ser quebrado apenas através de iniciativas individuais, como foi o caso da ocasião desperdiçada por Luís Leal, aos 14 minutos, quando, isolado por Evandro, não foi capaz de surpreender o guarda-redes Oliver Bauman.

 A velocidade do tridente ofensivo "canarinho", com Sebá e Carlitos nas alas e Luís Leal ao centro, foi a arma preferencial da equipa comandada por Marco Silva perante o 16.º e antepenúltimo classificado da Liga alemã, que enfrentava severas dificuldades em sequer entrar na área adversária.

 À passagem da primeira meia hora, Filipe Gonçalves, desta vez após entendimento com Mano, voltou a permitir a Luís Leal tentar visar a baliza ale-mã, mais uma vez sem a melhor direcção.

 Logo na primeira jogada da segunda parte, o Friburgo tentou disfarçar o "músculo" e mostrar-se mais solto, mas não conseguiu melhor do que fazer a bola cruzar a área do Estoril-Praia sem que ninguém rematasse.

 Os anfitriões responderam com remates de cabeça de Luís Leal, após canto de Ba-banco, e Sebá, a passe de Luís Leal, aos 49 e 50 minutos, mas a pontaria do avançado luso não foi a melhor e o remate do brasileiro mereceu boa oposição de Baumann.

 Apesar de espicaçado, o Friburgo, que, no segundo tempo, apresentou Admir Meh-medi na ala esquerda, por troca com Sebastian Kerk, mantinha as mesmas dificul-dades na zona ofensiva, procurando a sorte de fora da área, como foi o caso de Darida, aos 52, que Vagner apenas segurou à segunda tentativa.

 Do lado oposto, aos 58 minutos, Carlitos levou a bola à trave da baliza alemã, ao des-viar de cabeça um canto marcado por Evandro, que, apenas seis minutos depois, ser-viu Sebá, em zona frontal, para um remate que saiu muito por cima do "alvo".

 Com a frente de ataque renovada, com a saída de Luís Leal, foi o "suplente" João Pedro Galvão, aos 83, novamente servido por Evandro, a obrigar, com um cabeceamento, Baumann a sacudir para canto.

 Após a dupla expulsão na formação alemã, Sebá surgiu sozinho frente ao guarda-redes alemão e a bola acabou por sobrar para Bruno Lopes, sem que o também "suplente" conseguisse fazer melhor do que qualquer uma das anteriores tentativas.