Importância dos Lusíadas realçada no jantar de gala promovido na ACP de Pretória

0
42
Importância dos Lusíadas realçada no jantar de gala promovido na ACP de Pretória

Para angariação de mais alguns fundos que lhe permitam continuar a ajudar os mais necessitados da comunidade, que a ela recorrem pedindo protecção, a Associação de Bem-Fazer “Os Lusíadas” promoveu na noite do penúltimo sábado, 5 de Novembro, no salão nobre da ACPP, o seu jantar de gala anual, diga-se de boa afluência, contando-se entre os presentes o embaixador de Portugal na África do Sul, dr. Ramos Pinto e sua esposa, embaixatriz Maria Anna Ramos Pinto, o Frei comendador Gilberto Teixeira da igreja de Santa Maria, acompanhado do seu colega Manuel Nhaquila, o secretário da embaixada e gerente da secção consular de Pretória, dr. Pedro de Almei-da, e a chanceler ao serviço dessa nossa embaixada, Carlota Amorim.

 Com a música no convívio e animado baile com que foi encerrada a elegante festa, a cargo da discoteca “Sounds GR-8”, de Paulo dos Santos, este que nesse preciso dia ali festejava o seu aniversário natalício, actuação dos cançonetistas da comunidade, Damião de Freitas, Victor Tavares e Kátia da Ponte, e o “show” da artista sul-africana, Liane May, foram mestres-de-cerimónias Carlos Calado e a jovem Micaela dos Santos, que iniciaram essas funções com as boas vindas e agradecimentos a todos os presentes ali nessa noite, passando a apresentar os artistas locais, e a dar mais tarde um resumo da sul-africana, tida como cabeça de cartaz no programa artístico, deixando a descrição do que é a verdadeira actividade dos Lusíadas, muito embora a ela se referindo por alto, para a presidente da instituição, Paula de Castro, esta que chamada ao palco iniciou a sua intervenção com os agradecimentos a todas as presenças ali nessa noite, e reconhecimento a quem consigo colaborou no evento, de modo especial às seguintes pessoas e colectividades:  

 À ACPP, pela cedência gratuita do salão, para a festa, e ao Sporting Clube de Pretória a cozinha para a confecção do jantar, ao Meat 2 Oceans Market pela oferta de todo o camarão, carne, peixe e galinhas para essa refeição, além das contribuições de outras pessoas, como sendo em verduras, vegetais e outros condimentos para preparar o repasto, destacando em serviços de cozinha Ana Maria Guedes e a sua equipa, que diga-se não é a primeira vez que colaboram com a organização neste tipo de jantar, enquanto em relação à decoração e preparação do salão para essa noite, elogiar a excelente cooperação em anos sucessivos de Cláudia da Silva Dias, uma senhora com imaginação e provas dadas em enfeites de bom gosto, para esta festa anual dos Lusíadas, este ano com a ajuda do grupo de senhoras formado por sua mãe Tina da Silva, Odete Ferreira, Hester Basílio, Carla Dias, Maria de Gou-veia, Paula de Castro, Alexan-drina Bandeira, Helena de Sousa e Lurdes Dias, com todas as flores utilizadas na ornamentação oferecidas por Miguel Carreira.

 Não esquecendo em gene-rosidade os vários donativos recebidos para esta e outras actividades promovidas pela instituição ao longo do ano, com um obrigado a todas es-sas contribuições, deixando ali um obrigado à presença e apoio da embaixada, assim como ao Século de Joanes-burgo a divulgação de todos os seus eventos, Paula de Castro ao afirmar não podermos mudar o mundo, mas com certas atitudes transformar parte dele, dando a pro-pósito conhecimento das grandes dificuldades que de momento a nossa comunidade enfrenta, reflectidas nos constantes pedidos de ajuda que chegam aos Lusíadas, afirmando mais à frente:

 Nós levamos hoje uma vida tão apreçada e tão cheia, muitas vezes de coisas com que não nos devíamos preocupar, mas é a vida que levamos na actualidade, e por vezes nem sequer nos apercebemos da muita pobreza à nossa volta, pensando que isso talvez só poderá acontecer fora de portas, nos “township”, quando ela está instalada na nossa comunidade, entre os nossos próprios familiares e pessoas amigas, continuando:

 Os Lusíadas foram formados há mais de trinta anos, e quando apareceram foi para ajudar os refugiados que diariamente aqui chegavam sem nada, e mais tarde os idosos, mas nestes últimos anos, acho que Deus nos abriu as portas, e começou-nos a enviar pessoas a contas com outras dificuldades em todas as idades, e por isso nós estamos aqui para ajudar mediante as nossas disponibilidades, todos os que enfrentam grandes dificuldades nas suas vidas.

 Lembrando projectos que contaram com o apoio dos Lu-síadas na comunidade, entre os quais o do Niki Duarte no transplante de medula óssea, só que Deus tinha outros planos, chamando-o a si, mas sabemos que o seu espírito está aqui connosco, enume-rando outros casos mais recentes, alguns bem graves no presente a necessitarem do nosso apoio, estando para o mais premente marcado um convívio a 4 de Dezembro, em festa da Imaculada Conceição, na igreja de Santa Maria, para angariação de fundos que o possam solucionar, pois é para ajudar quem precise que nós existimos e cá estamos.

 Apelando a finalizar a sua in-tervenção, à generosidade de cada um, lembrando que nós hoje podemos estar bem, mas por não sermos invencíveis amanhã podemos vir a precisar de ajuda, Paula de Castro desejou a todos um Santo Natal e feliz ano novo cheio de paz e amor, deixando para reflexão esta mensagem de Jesus: “Escutai e descobri-me, nos pobres e em todo o povo. Não rejeiteis ninguém”.
 Convidado a proferir algumas palavras, o embaixador dr. João Ramos Pinto, começou por saudar a todos e felicitar “Os Lusíadas”pelo agradável ambiente que com a lindíssima decoração do salão, a juntar aos enfeites de cada mesa, e da saborosa comida ali servida nesta festa que considerou de alta qualidade, quanto a si em esforço gratuito de várias pessoas que o fizeram com o espírito de ajudar, incluindo neste prisma os artistas da comunidade que ali actuaram.

 “Com os cerca de três anos de permanência na África do Sul, onde, como frisou na embaixada, vamos acompanhando o trabalho feito pelos Lusíadas, diga-se extremamente meritório, sendo muito importante que o tenham alargado, das pessoas idosas às famílias necessitadas, face à difícil situação que atravessamos, ali descrita momentos antes pela presidente da instituição, Paula de Castro, onde infelizmente as perspectivas futuras não são nada animadoras, com a crise aqui e por todo o lado a agravar-se e a prolongar-se no tempo, tornando a vida das pessoas cada vez mais difícil, e graças a esta solidariedade e apoio que a comunidade portuguesa dá às pessoas mais necessitadas nestes períodos difíceis é importantíssimo, porque se não fossem vocês, ninguém mais o poderia fazer”.

 “Queria felicitar-vos por esse bom trabalho, por esse apoio que dão aos vossos irmãos, e dizer-vos bem hajam por toda essa ajuda que dão a carenciados, e estou certo que o governo e as autoridades portuguesas se revêm e vos agradecem essa solidariedade a muitas situações, que infelizmente o nosso governo não pode acudir, e por isso vocês têm que contar com as vossas próprias forças, e é isso que têm feito, e bem hajam por isso.

 Finalmente queria agradecer aos Lusíadas e toda a Direcção presidida por Paula de Castro, o bom trabalho que estão a fazer, saudar o Frei Gilberto que também apoia todas estas iniciativas, e desejar a todos vós um bom Natal e um ano novo muito próspero e feliz”.

De registar ainda no decorrer deste convívio, a projecção em “slides”, por Carlos Dias, sobre temas, na sua maior parte a alertar os presentes a uma vida mais sã e saudável, desde que não sejam esquecidas obrigações como laços familiares, ajuda ao próximo em dificuldades e respeitadas certas parábolas, com essa finalidade contidas nas palavras do Altíssimo, e na medida do possível respeitadas pelos que nos Lusíadas continuam a promover a assistência a pessoas carenciadas, onde em certos casos, pelo menos nos mais graves, essa ajuda é para os beneficiados, interpretada como que uma bênção caída do céu.

 Sempre a pensar na colecta de mais alguns fundos a favor dos que mais precisam, dei-xando ali bem claro a esse respeito, reverter tudo o que vão conseguindo na institui-ção, exclusivamente para auxílio a necessitados, foi nessa noite feito pelo presidente da assembleia-geral da ACPP, Manuel José, o leilão de alguns artigos oferecidos com essa finalidade, entre os quais o bolo decorado com no emblema dos Lusíadas, confeccionado e oferecido por Luísa Sampaio, que adquirido por significativa importância pelo membro lusíada José David de Sousa, o mandou cortar em fatias e dele dado a provar pelos presentes no salão.