Igreja Evangélica Portuguesa festejou com simbolismo e dignidade o 50º Aniversário

0
65
Igreja Evangélica Portuguesa festejou com simbolismo e dignidade o 50º Aniversário da sua fundação em Pretória

Com um programa de actividades iniciado sexta-feira, 6 de Março, com a presença do Reverendo Luís Reis, vindo de Portugal, onde ali é representante da Assembleia de Deus, no culto de celebração, prosseguindo sábado com a presença de outros pastores de língua portuguesa, de Pretória e Joanesburgo, encerrando no domingo, ponto alto dos festejos, com o culto dominical às nove horas da manhã, iniciado pelo ancião Arlindo Silva nos agradecimentos à presença de todos na comemoração, de modo particular às individualidades convidadas para este aniversário, a quem mais tarde foram entregues lembranças comemorativas, e a irmã Leta na leitura da mensagem de parabéns à acção, recebida da América, da viúva do pastor Manuel Folgado, saudando e expressando todo o seu carinho e amizade a pastores e toda a assembleia presente na comemoração, a Igreja Evangélica Portuguesa-Assembleia de Deus, instalada em Christóffel Street, de Pretória West, festejou com grande entusiasmo e assinalado brilho, o 50.º aniversário da sua fundação na capital sul-africana.

 De instalações renovadas e totalmente modernizadas em relação às primitivas, onde ainda funcionam as escolas dominicais de instrução bíblica, presente administrada às crianças de todas as etnias por Sónia Reis, com a aplicação para este aniversário de novas carpetes, lhe dão um aspecto mais airoso, moderno e funcional, foram depois dos agradecimentos e outras formalidades, entoados em atmosfera bem viva e animada, cânticos de louvor sob orientação de Raquel Silva, esposa do actual pastor desta igreja, e a seguir José Nunes na descrição do historial destes cinquenta anos da edificação do templo que ajudou a construir, em Pretoria West, com as obras iniciadas em 1964, enumerando outras dedicações que consigo se debateram por conseguir edificar com muito carinho as instalações em que se encontra-vam, e de que muito se orgu-lhava, onde neste aniversário estavam patentes em diversos locais da igreja fotos antigas, tanto do edifício, como de pessoas que ao longo dos tempos se têm revelado gran-des apoiantes desta igreja, num trabalho perfeito e de grande qualidade da autoria de outras grande dedicação, como é o ancião Carlos Santos.

 Convidado a tecer algumas palavras, também o Frei Gilberto Teixeira, pároco da igreja de Santa Maria dos Portu-gueses, em Pretória West, depois de agradecer o convite que lhe fora feito para participar na celebração, reforçar em testemunho os ideais que ali eram manifestados e elevados, e como irmãos louvar e dar graças, ali e em todo o lado ao Senhor, terminando a esse respeito com a leitura de capítulo bíblico, intervenção sublinhada de fortes aplausos dos presentes ali em grande número nesse dia, grande parte proveniente de Angola e Moçambique.

 

* AGRADECIMENTO AOS PRESENTES

 

 Palavras de agradecimento aos presentes na comemoração, de modo particular a convidados e especialmente ao Reverendo Luís Reis, vindo propositadamente de Portugal para assistir a este aniversário, embora todos reconhecendo ali como especiais nesse dia, foram proferidas pelo pastor Júlio da Silva, há 13 anos à frente desta igreja evangélica portuguesa, testemunhando o seu apreço aos fiéis a esta igreja que o têm seguido e apoiado ao longo dos anos em que ali se encontra, tendo acompanhado de alguns dos seus mais directos colaboradores, oferecido recordações traduzidas em em-blemas tipo “crachat” e canetas comemorativos a essa efeméride, a pastores, evangelistas, anciãos, diáconos, ir-mãos da secretaria e directoria da igreja e outros destacados apoiantes ali presentes, com o seu apreço aos que em vários dias ali trabalharam, dando o seu melhor para que tudo estivesse em ordem para esta celebração. 

 O último a usar ali da palavra foi o convidado especial para essa efeméride, o Reverendo Luís Reis, vindo de Portugal, onde ali é representante das Assembleias de Deus, que começando por a todos saudar e manifestar ser para si um alto privilégio participar naquela que como classificou de abençoada festa dos cinquenta anos da Assembleia de Deus na cidade de Pretória, prosseguindo:

 “Louvo a Deus e recordo com gratidão o pastor Manuel Folgado, que quando aqui vim pela primeira vez já não estava em Pretória, nessa altura a igreja era dirigida pelo pastor Avelar, tendo depois disso o grato privilégio de conhecer outros pastores que aqui serviram ao Senhor, louvo a Deus por todos eles, e quero dar muitas graças a Deus pelo meu amigo e companheiro Júlio da Silva, com quem convivi um pouco em Portugal, e fizémos logo uma estreita amizade, um brasileiro por quem tenho muita consideração e estima, assim como por sua esposa Raquel, e este convívio, esta comunhão, e esta amizade que nos une, não apenas como irmãos em Cristo, mas como colegas e companheiros, eu louvo a Deus pelo ministério, não só dos outros pastores que por aqui passa-ram, mas muito especialmente pela simpatia e amizade que nos une, com muita admiração pelo excelente trabalho que aqui vem realizando.

 Honra a quem honra estimados irmãos, e a nós só nos fica bem como cristãos, honrar aqui aqueles que são dignos da nossa honra e da nossa gratidão, por isso pastor Júlio e sua esposa Raquel quero dar-vos um abraço de parabéns, e neste abraço cumprimentar ao mesmo tempo todos vós aqui presentes, pelo testemunho que dais com a linda festa proporcionada, e rogo a Deus que daqui a mais cinquenta anos todos possamos estar aqui reunidos, para glorificar o nome de Jesus.

 Como irmãos, continuou Luís Reis, sabemos estar aqui representando a Convenção das Assembleias de Deus em Portugal, que em 2013 comemorou o seu centenário, e este ano, numa conferência nacional, a ter lugar na cidade do Porto, iremos comemorar os cento e dois anos com a mensagem pentecostal das assembleias em terra lusa, e louvo a Deus também pela comunhão estreita que nos une enquanto igrejas e enquanto obra de Deus, concluindo esse seu testemunho inicial, com esta afirmação:

 A obra de Deus não se faz separadamente, ela faz-se em conjunto, em comunhão, amando-nos uns aos outros, servindo e respeitando-nos uns aos outros, porque é desta forma que a obra de Deus glorificado avança, conquista e alcança, segundo o eterno e glorioso propósito do Deus. Estou muito grato pelo vosso convite e os meus sinceros parabéns por tudo aquilo que os irmãos em Jesus têm feito, pela glória de Deus”.

 Finda a celebração religiosa, foi pelo pastor Júlio da Silva ainda dentro da igreja simulado o corte do bolo de fina decoração alusivo a este 50º aniversário, do qual todos se puderam servir no beberete de convívio que se seguiu ao ar livre, nas mesas colocadas para esse efeito no recinto contíguo ao complexo, diga-se recheadas dos mais variados petiscos e guloseimas desde rissóis, pastéis, croquetes, salgados, panados e diferente doçaria, acompa-nhados de refrigerantes, tudo bem apreciado por quem os saboreou, até as garrafas de água ali postas à disposição, estavam cintadas de rótulo comemorativo dos cinquenta anos desta igreja evangélica portuguesa de Pretoria, bem demonstrativo de tudo ter sido estudado ao pormenor, e para que nada faltasse a ninguém, num dia de tanto significado como aquele.

 

* GISTORIAL DA IGREJA EVANGÉLICA

 

 Quanto ao historial desta igreja evangélica, por onde passaram até hoje os pastores, Manuel Folgado, J. Fernandes, J. Avelar, C. Salgado, Luís Ançã, J. da Silva, A. Figueiredo, J. Santos, J. de Anchieta, E. da Silva, Manuel Camacho, Luís Correa Filho, ancião Arlindo da Silva actual vice-presidente nesta igreja, sendo seu actual pastor Júlio José da Silva, diremos que o trabalho da Assembleia de Deus, com o objectivo de anunciar a mensagem do evangelho de Jesus Cristo, foi iniciado em Pretória no ano de 1963, por um grupo constituído pelas famílias Miguel, Silva, Nunes, Folgado, Fonseca, Pinto e Rodrigues, que utilizava para as reuniões e seus cultos, um pequeno compartimento das instalações All Nations Gospel Publishers, em Pretória West.

 Refira-se que Gschwend, doador mais tarde da propriedade para edificação do templo, é o autor do livro “Sessenta anos de paz”, obra baseada na transformação da sua vida, operada segundo ele, por Jesus Cristo, quando preso pelos alemães durante a Primeira Guerra Mundial, ao aperceber-se de que os seus dias se aproximavam do fim, dado que como prisioneiro de guerra só a morte o esperava, pediu a Deus, com grande fé, uma resposta para a sua existência.

 Vivendo ao que constava desapontado pela religião que então dizia professar, rogou ao Senhor, com todas as forças do seu ser, para que com o seu amor misericordioso, o ajudasse nesses momentos bem difíceis da sua vida, ao mesmo tempo que contemplava as mãos e os pés de Jesus cravados na cruz, só ali compreendeu que o filho de Deus havia sido cruxificado por amor à humanidade.

 Ao ser libertado dessa dita prisão em que se encontrava e tanto sofreu, prometeu fielmente dedicar todo o resto da sua vida inteiramente ao Pai Celestial e encaminhar o maior número de pessoas para Cristo, daí que, com tal objectivo fundou a All Nations Gospel Publishers, para através de literatura publicada em mais de duzentas línguas e dialectos, espalhar a mensagem do evangelho por todo o mundo.

 Por verificar grande interesse e entusiasmo nessas pessoas portuguesas a quem havia cedido um aposento para a realização dos seus cultos, o missionário suíço J. L. Gschwend, fundador daquela tipografia, já falecido, acabou por depois ceder a preço meramente simbólico, o terreno onde viria a ser construída esta Igreja Evangélica Portuguesa e respectiva residência pastoral, com essas instalações a serem inauguradas em Fevereiro de 1965, na Christóffel Street, da capital sul-africana, de que foi seu primeiro pastor Manuel Folgado.

 Com o andar dos tempos e devido ao elevado número de membros existentes em Danville e áreas limítrofes, foi também construída naquele bairro uma outra igreja que, pertencente à mesma Assem-bleia, era praticamente autónoma, dado ser orientada pelo ministro de culto João Fernandes.

 Com a partida do pastor Manuel Folgado para os Estados Unidos da América do Norte, veio ocupar o seu lugar na igreja de Pretoria West, José Avelar, que após um período de três anos se ausentou para Portugal, onde mais tarde viria a falecer.

 Devido a essas circunstâncias, ficou interinamente a pastorear esse conjunto de fiéis ligados pela mesma fé, Carlos Salgado, da igreja de Malvern, em Joanesburgo, até à vinda de Luís Ançã, que depois de uma permanência de dois anos regressou ao nosso país, sendo substituído no cargo por Jerónimo da Silva, que ocupou o lugar até princípios de 1988.

 Entretanto, na igreja de Danville e ao fim de vários anos, João Fernandes cedia o seu lugar a Joaquim Leitão, que procedente da antiga Rodésia, hoje Zimbabwe, ali se manteve por cerca de três anos, findos os quais se ausentou da África do Sul, assumindo a chefia daquela comunidade de cristãos, António Figueiredo, por acumulação, já que cooperava também com a de La Rochelle, em Joanesburgo,

 Por terem chegado à conclusão haver toda a conveniência na unificação das igrejas, em Pretoria, ficou a certa altura a de Danville reduzida apenas a um salão de reuniões, e a de Christoffel Street confiada a Manuel Jorge Camacho da Cruz, que ali iniciou as suas funções em 12 de Junho de 1988, depois de consagrado pastor evangélico em Vanderbijlpark, no ano de 1981.

 Presentemente esta igreja evangélica conta entre os seus frequentadores, os pastores José Santos, Sérgio Mondlane, Pascoal Mallione e António dos Anjos, o evangelista Gabriel Abushama, e os anciãos Arlindo Silva, Carlos Santos e Gabriel Jone, enquanto por outro lado e em relação a famílias que com a mesma muito vêm colaborando, foram destacadas as de José Nunes; António Pais; Arlindo, Joaquim e Manuel da Silva; Carlos Santos; Manuel Reis e António Gonçalves.

 Além da de Pretória, com congregações em Atteridgeville, Centurion, Sunnyside e Tembisa (em zulo), a Assembleia de Deus leva hoje o evangelho a outras cidades com comunidades portuguesas, desde Joanesburg, Rustenburg, Witbank, Middelburg, New Castle, Germiston, Port Elizabeth, Durban, Cape Town e outros lugares.