Holanda elimina México após reviravolta no resultado nos últimos minutos

0
43
Brasil, salvo pelos

O Mundial esteve perto de perder mais uma equipa europeia, mas a Holanda deu a volta ao marcador nos minutos finais e garantiu a passagem aos quartos-de-final.

 

 A selecção laranja demorou a entrar no jogo e esteve em desvantagem, mas depois ainda foi a tempo de “espremer” os seus recursos para garantir o triunfo, aproveitando dois lances de bola parada.

 O golo decisivo surgiu já em período de descontos, na sequência de uma grande penalidade assinalada por Pedro Proença, que teve um jogo bem complicado para ge-rir.

 O México cai nos oitavos-de-final pelo sexto Mundial consecutivo.

 Na primeira parte a selecção holandesa pareceu afectada pelo calor que se fazia sentir em Fortaleza (cerca de 30ºC), mas também perdida tacticamente, por força das mu-danças de Van Gaal.

 Verhaegh jogou como ala direito, Kuyt apareceu na ala esquerda e Wijnaldum a meio-campo, ao lado de Nigel de Jong, que ainda para mais saiu lesionado logo aos nove minutos, para a entrada de Bruno Martins Indi, provável futuro jogador do FC Porto.

 Isto tudo fez com que a selecção “laranja” demorasse a organizar-se, perante um México mais estável, já que a única alteração foi a entrada de Salcido para o lugar do castigado Vázquez.

 Layún foi o mais activo nos minutos iniciais, mas o portista Héctor Herrera voltou a estar em evidência, e aos 18 minutos esteve perto de marcar, com um remate que saiu bem perto do poste.

 A Holanda fez o primeiro remate apenas aos 27 minutos, com Van Persie a aparecer solto na área, mas a bola fugiu para o pé direito, menos eficaz, e o remate saiu torto.

 O México respondeu pelo pé direito de Giovani dos Santos, que mesmo de ângulo apertado obrigou Cillessen a defesa com o joelho.

 A equipa de Miguel Herrera foi superior na primeira parte, mas o intervalo chegou com polémica na área contrária, com Robben a sofrer duas faltas que Proença não viu.

 O México escapou ao penálti mas perdeu Héctor Moreno nesse lance, por lesão. O por-tista Diego Reyes entrou ao intervalo e ao minuto 48 viu Giovani dos Santos dar vantagem à selecção “azteca”, com um belo remate de fora da área.

 A equipa mexicana conseguia então uma vantagem justa, mas à qual se agarrou de-masiado. E ao mesmo tempo que Van Gaal reorganizada a equipa e corrigia alguns erros iniciais, aproveitando até a paragem técnica decretada por Pedro Proença na etapa complementar (na primeira parte também houve).

 Ochoa foi segurando a vantagem mexicana. Até com a cabeça evitou um golo de Stefan de Vrij (57m), antes de uma “mancha” a Robben (74m).

 Já posicionado à direita do ataque, o jogador do Bayern de Munique foi o grande im-pulsionador da reação “laranja”, mas contou também com a ajuda de Huntelaar, lançado por Van Gaal para o lugar de Van Persie.

 Ao minuto 88 Robben cobrou um canto na direita e Huntelaar amorteceu de cabeça, ao segundo poste, para uma “bomba” de Sneijder, que igualou a partida.

 Depois, já em período de compensação, Arjen Robben foi derrubado na área por Rafa Márquez e Huntelaar converteu o penalti e garantiu o apuramento da selecção da Holanda para os quartos de final, onde irá defrontar a Costa Rica.