Guimarães celebra dez anos da elevação a Património Mundial sob lema O Património somos Nós

0
52
Guimarães celebra dez anos da elevação a Património Mundial sob lema O Património somos Nós

Guimarães celebra a 13 de Dezembro dez anos da elevação do Centro Histórico a Património Mundial sob o lema “O Património somos Nós “ com a reabertura do Toural e a estreia da Fundação Orquestra Estúdio como “pontos altos”.

 O orçamento para assinalar a classificação de Guimarães como Património da Humanidade “ronda os 12.500 euros”.
 Em conferência de imprensa a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Guima-rães, Francisca Abreu, anunciou que as celebrações dos dez anos de Património Mun-dial vão decorrer num “espírito de colaboração” entre as várias instituições da cidade.
 “Este é um processo colectivo de comunhão e partilha que juntou políticos e técnicos. A celebração deste feito vai também ser um momento de envolvimento de 28 institui-ções que é mais importante do que qualquer glamour”, afirmou vereadora.

 Ao todo, esclareceu, “estão envolvidas 28 instituições, desde escolas, associações vimaranenses, a Universidade do Minho e a Fundação Cidade de Guimarães”, que tem a cargo a organização da Capital Europeia da Cultura (CEC) Guimarães 2012.
 Alias, sobre a participação da CEC na celebração dos dez anos da classificação como Património Mundial, o presidente da Fundação, João Serra, também presente, explicou que “a CEC não se podia limitar a estar presente”.
 “A CEC integra os valores que se vão celebrar. Daí fazer sentido começar o ciclo de abertura da CEC com a celebração da elevação do Centro Histórico de Guimarães a Património de Humanidade”, explanou Serra.

 Assim, a Fundação preparou dois momentos alusivos à data: “a apresentação do programa cultural e da agenda para os primeiros meses da CEC” e “a apresentação e estreia da Fundação Orquestra Estúdio” num concerto com a soprano Elisabete Matos.
 Os festejos incluem exposições fotográficas, artísticas, espectáculos de teatro e de música assim como vários momentos musicais por toda a cidade.
 O lema dos festejos, “O Património somos Nós”, foi explicado por Francisca Abreu como o “assinalar da identidade de toda a comunidade, da nossa memória do passado e a memória do futuro”.

 Já o presidente da Câmara Municipal de Guimarães, An-tónio Magalhães, destacou o “orgulho” que esta distinção representa para a cidade re-lembrando que a “recente classificação do Fado como Património da Humanidade realçou a importância deste galardão concedido há dez anos a Guimarães”.

 O autarca apontou como “ponto alto” da participação da autarquia na celebração da data a “reabertura do Largo do Toural dia 13”.
 “Vamos dar um sinal que cumprimos as metas que es-tabelecemos. E dia 13 temos que cumprir com o que nos comprometemos e reabrir o Largo do Toural assim como toda a zona envolvente”, assegurou.