Grupo Porto Editora reforça liderança do mercado com compra da Bertrand

0
47
Porto Editora

Porto EditoraA Porto Editora, o maior grupo editorial português, reforçará a sua posição no mercado com a compra do Direct Group, do grupo alemão Bertelsmann, detentor das livrarias Bertrand, do Círculo de Leitores e de quatro editoras.

 Presidido por Vasco Teixeira e composto pelas empresas Porto Editora, Areal Editores, Lisboa Editora, Plural Editores Angola, Plural Editores Moçambique e Bloco Gráfico, o grupo Porto Editora registou em 2008 uma facturação de 91,5 milhões de euros – um crescimento de 5,5 por cento em relação ao ano anterior, que o posicionava já como líder do mercado editorial em Portugal.

 Em segundo lugar surge, com uma facturação de 89,8 milhões de euros e um crescimento de 1,2 por cento em relação a 2007, o grupo LeYa, de Miguel Paes do Amaral, que agrupa as editoras Asa, Caminho, Dom Quixote, Gailivro, Edições Ndjira (Moçambique), Edições Ndzila (Angola), Novagaia, Texto Editores, Oficina do Livro, Casa das Letras e Teorema.

 O grupo editorial Bertelsmann, com negócios na área dos media em 50 países, re-solveu vender o Direct Group, que emprega em Portugal 650 trabalhadores, porque os resultados financeiros obtidos em 2008 ficaram aquém das expectativas dos acionistas: a faturação foi de 70 milhões, menos 2,7 por cento do que no ano anterior.

 A proposta de venda incluía as 54 livrarias Bertrand em Portugal e as que a marca possui em Espanha, a distribuidora de livros Bertrand, o clube do livro Círculo de Leitores e as editoras Bertrand, Quetzal, Temas e Debates e Pergaminho.
 Na corrida à compra estiveram, além do grupo LeYa – cujo administrador, Isaías Gomes Teixeira, disse em janeiro à Lusa que desistira da aquisição -, também a editora Civilização e dois grupos estrangeiros.

 Fundada em 1944, a Porto Editora, que este ano adoptou uma nova imagem, prepara-se agora para adoptar uma estratégia a condizer: com a compra da cadeia de livrarias Bertrand, consolidará a sua posição no segmento retalhista, em que se iniciou há dois anos com a abertura da primeira loja Wook, a sua rede de livrarias.

 Ao adquirir os activos do Direct Group, o grupo Porto Editora contribuiu para o aumento da concentração editorial em Portugal, já que soma, com a LeYa, uma quota de 47 por cento do mercado editorial – que equivale aos 180 milhões de euros que juntas facturaram em 2008 -, a bastante distância de um terceiro grupo: Babel, formado no final de 2009 por Paulo Teixeira Pinto e que reúne seis editoras.