Greve dos pilotos da TAP é uma grande irresponsabilidade – considera Jardim

0
52
Greve dos pilotos da TAP é uma grande irresponsabilidade - considera Jardim

O presidente do Governo da Madeira, Alberto João Jardim, afirmou discordar da greve dos pilotos da TAP, considerando que estas acções, numa altura em que o país atravessa uma situação tão difícil, são “uma grande irresponsabilidade”.

 “Independentemente de discordarmos da política que está a ser seguida pelo Governo PSD/CDS – com a qual nada tenho a ver – acho que fazer greves nesta altura é de uma grande irresponsabilidade”, disse Jardim, pronunciando-se sobre a greve convocada entre 21 e 23 de Março pelos tripulantes da TAP, como forma de protesto pelos cortes salariais.

 Segundo o governante madeirense, esta forma de protesto “só vai agravar mais a situação económica e vai trazer mais encargos para os portugueses”, sublinhando que “não é desta maneira que se resolvem os problemas”.

 “Um país que está na situação financeira e económica em que está, com esta política de austeridade que não leva a nada – e não sou eu que digo, estou a limitar-me a dizer o que afirmam prémios Nobel da Economia”, argumentou.

 Falando aos jornalistas após uma reunião com a comissária europeia dos Assuntos Marítimos e das Pescas, Maria Damanaki, o líder insular insistiu que se houver flexibilidade em relação do programa de ajustamento económico e financeiro de Portugal, esta medida “deve ser aplicada” ao plano de resgate aplicado à Madeira.

 “A República Portuguesa pegou no programa de ajustamento económico e financeiro que a ‘troika’ lhe impôs e, por sua vez, impôs à Madeira. É a lógica da batata”, declarou Jardim.

 O presidente do governo madeirense confirmou ainda a sua presença na sessão da Assembleia Legislativa da Madeira na qual será discutida e votada a moção de confiança apresentada pelo executivo.

 

 Jardim não costuma comparecer perante os deputados, marcando apenas presença nos plenários para a apresentação do programa do Governo e do Orçamento.