Grande passo para a paz mundial: Irão assina acordo com seis potências e suspende programa nuclear

0
36
Grande passo para a paz mundial: Irão assina acordo com seis potências e suspende programa nuclear

As grandes potências mundiais chegaram sábado à noite a acordo com o Irão, que se comprometeu a não enriquecer urânio acima de 5% du-rante seis meses em troca do alívio de sanções, informou a Casa Branca, em Washington.

 Em comunicado divulgado após o anúncio do acordo en-tre o Irão e as seis potências mundiais (membros do Conselho de Segurança da ONU mais a Alemanha), em Genebra, a Casa Branca indicou que o Irão também se comprometeu a desmantelar "os conetores técnicos" que permitem tal enriquecimento.

 Com este compromisso, as potências garantem o alívio das sanções contra o Irão, avaliadas em sete biliões de dólares, durante os seis meses, mas se o país não cumprir por completo o acordo as sanções voltarão a entrar em vigor.

 No âmbito do acordo alcançado, o Governo iraniano comprometeu-se a parar o en-riquecimento de urânio até 20% e só poderá fazê-lo abaixo de 5%, apenas o suficiente para o seu uso civil, a não expandir as centrais nucleares de Fordo e Natanz e a parar a construção da central de Arak, onde se poderia produzir plutónio.

 "Isto significa que os 200 quilos de urânio enriquecido a 20% [reservas que o Irão possui actualmente] serão zero em seis meses", disse o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, em conferência de imprensa realizada em Genebra sábado à noite, ao explicar que essas reservas serão diluídas.

 Kerry adiantou que serão implementados mecanismos de controlo "sem precedentes" do programa nuclear iraniano, com "acessos diários" de mecanismos de verificação a todas as instalações nucleares do país.

 "Isto garantirá que o programa será submetido a mecanismos de vigilância que a comunidade internacional jamais teve antes", sublinhou.

 Segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, a Agência Internacional de Energia Atómica terá um controlo total sobre o programa nuclear iraniano no âmbito do acordo e o homólogo iraniano, Javad Zarif, adiantou que uma comissão conjunta (com as grandes potências) irá verificar a implementação do mesmo.

O acordo foi anunciado através de um comunicado conjunto lido na ONU em Genebra pela chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, acompanhada de todos os ministros envolvidos nas negociações, iniciadas na quarta-feira.

 "Alcançámos um acordo sobre um plano de acção", disse Ashton, que foi aplaudida pelos jornalistas iranianos presentes.

 Este acordo entre o Irão e os Estados Unidos, Rússia, França, Reino Unido, China e Alemanha representa um momento histórico na diplomacia recente e prevê a primeira paralisação do desenvolvimento do programa nuclear iraniano na última década.

 

* Acordo de Genebra é grande avanço para segurança global – Durão Barroso

 

 O presidente da Comissão Europeia considera que o acordo sobre o programa nuclear iraniano alcançado em Genebra constitui “um grande avanço para a estabilidade e a segurança global” e destacou o papel desempenhado pela União Europeia nas negociações.

 Numa declaração divulgada em Bruxelas, José Manuel Durão Barroso saúda em particular a Alta Representante da União Europeia e vice-presidente da Comissão, Catherine Ashton, “por este feito, que é resultado da sua dedicação e empenho incansáveis nesta questão ao longo dos últimos quatro anos”, e co-menta que o sucesso das conversações também “é um testemunho real do compromisso” da União Europeia para com a estabilidade regional e global.

 “Agora é importante que todas as partes continuem a cooperar com espírito construtivo na implementação do acordo, de forma a que possam ser dadas garantias claras à comunidade internacional no que respeita à natureza pacífica e civil do programa nuclear iraniano, assim como uma cooperação completa com a Agência Internacional de Energia Atómica” (AIEA), afirmou.

 As grandes potências mundiais chegaram hoje de madrugada a acordo com o Irão, que se comprometeu a não enriquecer urânio acima de 5% durante seis meses em troca do alívio de sanções, informou a Casa Branca.

 O acordo entre o Irão e as seis potências mundiais (os cinco membros do Conselho de Segurança da ONU e a Alemanha), concluído hoje em Genebra, prevê que o Irão também desmantele “os conetores técnicos” que permitem o enriquecimento acima de 5%.

 Com este compromisso, as potências garantem o alívio das sanções contra o Irão, avaliadas em sete mil milhões de dólares, durante seis me-ses, mas se o país não cumprir por completo o acordo as sanções voltarão a entrar em vigor.

 No âmbito do acordo alcançado, o Governo iraniano comprometeu-se a parar o enriquecimento de urânio até 20% e só poderá fazê-lo abaixo de 5%, apenas o suficiente para ser utilizado em actividades civis, a não expandir as centrais nucleares de Fordo e Natanz e a parar a construção da central de Arak, onde se poderia produzir plutónio.