Governo português recomenda a portugueses na Costa do Marfim que se mantenham contactáveis

0
182

A Embaixada de Portugal no Senegal recomenda aos portugueses na Costa do Marfim que se mantenham contactáveis e actualizem a inscrição no Consulado, numa altura em que cresce a tensão política no país devido às eleições presidenciais.

  “Recomendamos que todos os portugueses na Costa do Marfim realizem ou actualizem a sua inscrição consular. Este passo é fundamental para melhor, e atempadamente, garantir a adequada protecção consular”, refere a missão diplomática numa mensagem divulgada “online”.

  O apelo surge numa altura em que a Costa do Marfim vive um período de campanha eleitoral para as presidenciais de 31 de Outubro e quando crescem os receios de confrontos violentos entre apoiantes e opositores da controversa candidatura a um terceiro mandato do chefe de Estado cessante, Alassane Ouattara.

  A Embaixada de Portugal em Dacar assegura ainda que “está a acompanhar – atentamente e em concertação com a delegação da União Europeia e as embaixadas da UE em Abidjan – o evoluir da situação no país”.

  “Reiteramos, igualmente, o apelo que para que permaneçam sempre em contacto com a vossa embaixada via Facebook e website oficiais”, acrescenta a mensagem.

  Portugal não tem representação diplomática na Costa do Marfim, pertencendo o país à jurisdição da Embaixada de Portugal em Dacar, no Senegal, que cobre também a Libéria, Gâmbia, Serra Leoa, Burquina Faso e Guiné-Conacri.

  Nestes seis países da África Ocidental vivem cerca de 400 portugueses, segundo dados avançados pela embaixada portuguesa.

  Em Setembro, a Embaixada de Portugal no Senegal inaugurou o atendimento consular por videochamada para estes países, uma iniciativa inspirada na digitalização que tem marcado a pandemia de covid-19 e que servirá também para acompanhar eventuais emergências envolvendo portugueses.

  No país existem também representantes especiais que fazem a ligação entre a comunidade e a representação diplomática.