Governo poderá “equacionar” recurso a médicos reformados e dispensados das urgências face à gripe A

0
81
gripe A

gripe AO secretário de Estado Adjunto e da Saúde considerou ser “possível equacionar” um reforço no atendimento à gripe A recorrendo aos médicos reformados e dispensados das urgências à medida “da evolução da pandemia”.

“Uma situação extraordinária necessita de medidas extraordinárias e é possível equacionar essa medida [de reforço] dentro deste contexto”, salientou Francisco Ramos, à margem da apresentação dos resultados nacionais de cirurgia ambulatória referentes ao primeiro semestre de 2009.

O secretário de Estado assegurou que, “neste momento, o alargamento de serviços de atendimento a casos de gripe tem dado resposta a essas situações”, mas novas medidas podem ser equacionadas “à medida da evolução da pandemia”. O secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), Carlos Arroz, defendeu que os médicos reformados e dispensados das urgências podem ser uma solução para fazer face ao aumento dos casos de gripe A (H1N1).