Governo moçambicano apela à “vigilância” face ao risco de contágio das revoltas no Norte de África

0
91
Governo moçambicano

Governo moçambicanoO primeiro-ministro moçambicano, Aires Ali, exortou a população a manter-se vigilante para prevenir o perigo de instabilidade, como a que está a abalar a África do Norte e o Médio Oriente, “assolados pela onda de manifestações populares”.

 Aires Ali evocou a necessidade de a população moçambicana pautar pelo “civismo e urbanismo”, quando falava na sessão de perguntas e respostas entre os deputados da Assembleia da República e o Executivo.
 Ao enunciar uma série de medidas tomadas pelo Governo para enfrentar os desafios actuais no plano interno e externo, o primeiro-ministro moçambicano afirmou que o Governo acompanha com preocupação a evolução da situação política em alguns países da África do Norte e do Médio Oriente.

 “Pelo que se exige de todos nós um alto grau de civismo, de respeito mútuo, urbanismo e, acima de tudo, vigilância para prevenir situações que possam perigar a estabilidade conquistada com muito sacrifício”, enfatizou Aires Ali.
 Por outro lado, disse ainda o primeiro-ministro moçambicano, será preservado e valorizado o ambiente de inclusão e pluralismo de ideias, como condição fundamental para a consolidação da democracia.

 Associando as convulsões sociais à pobreza, Aires Ali apontou que o Governo moçambicano vai investir este ano pouco mais de três milhões de euros para o combate à pobreza urbana, no quadro do Programa Estratégico para a Redução da Pobreza Urbana.
 Paralelamente, será mantido o Fundo de Desenvolvimento Distrital, que disponibiliza anualmente cerca de 160 mil euros a cada um dos 128 distritos rurais do país, para o combate à pobreza rural, re-feriu o primeiro-ministro moçambicano.