Governo de Lisboa vai dar formação em português a corpo diplomático da Costa do Marfim

0
71

 O Governo português vai apoiar a formação em língua portuguesa do corpo diplomático da Costa do Marfim, que tem relações próximas com vários países lusófonos, anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiro, Augusto Santos Silva.

 O Instituto Camões apoiará a formação de funcionários diplomáticos da Costa do Marfim ao abrigo de um acordo assinado entre os dois governos, durante uma visita a Abidjan de Augusto Santos Silva, que terminou na quarta-feira, 29 de Maio.

 No âmbito de uma Comissão Mista entre ambos os governos, Santos Silva assinou ainda dois outros acordos, na área do desporto e na área da modernização administrativa, e aproveitou para fazer uma análise da situação regional, naquela zona de África, e para acompanhar o investimento económico de empresas portuguesas.

 “O apoio às acções de formação em língua portuguesa é muito importante e já vinha sendo feito em áreas específicas, como para os funcionários de instituições internacionais”, explicou o chefe da diplomacia portuguesa, em declarações à Lusa.

 “A expansão do conhecimento do português é uma das nossas prioridades”, acrescentou o ministro, referindo-se à acção formativa que o acordo assinado colocará em prá-tica, permitindo que o corpo diplomático da Costa do Marfim nos diferentes países de língua oficial portuguesa tenha melhores competências.

 O Governo português está ainda a apoiar o ensino da língua nos estabelecimentos de ensino secundário, em programas que abrangem já cerca de 800 alunos em três escolas da Costa do Marfim.

 Durante o primeiro dia de visita à Costa do Marfim, Santos Silva assinou ainda um acordo na área do desporto e outro na área das parcerias governamentais.

 O ministro destacou a parceria na modernização administrativa, em que o Governo da Costa do Marfim aproveitará para adaptar o modelo das Lojas do Cidadão naquele país africano.

 A ministra da Modernização Administrativa de Portugal já tinha recebido em Lisboa a sua homóloga da Costa do Marfim, que se mostrou inte-ressada em desenvolver um projeto semelhante à expe-riência da Loja do Cidadão no seu país.

 Santos Silva, que se fez acompanhar do secretário de Estado da Internacionaliza-ção, Eurico Brilhante Dias, aproveitou o encontro com responsáveis do Governo da Costa do Marfim para analisar a situação na África Central, olhando em particular para as delicadas situações no Mali e no Níger.

 O ministro teve ainda a oportunidade de avaliar o investimento das empresas portu-guesas na Costa do Marfim, destacando o caso de uma empresa – Mota Engil – que recentemente foi escolhida para gerir 2/3 do negócio da recolha do lixo em Abidjan, a maior cidade do país, com seis milhões de habitantes.

 “Esse projecto mostra bem a importância das empresas portuguesas nesta região”, assinalou Santos Silva.

 “Este é um projecto que muito beneficia a economia da Cos-ta do Marfim”, disse o ministro, realçando o facto de aquela empresa ter criado três mil novos postos de trabalho e apenas 85 serem ocupados por portugueses.